LDB e EPT: o percurso da lei e seus desdobramentos para a educação profissional

Natalício de Souza Teles, Luzia Matos Mota

Resumo


Até chegar ao ponto de se publicar uma determinada lei, isto é, um conjunto de normas e regras escritas que emana da soberania de uma sociedade, povo ou conjunto de autoridades (Dicionário Caldas Aulete, 2011), há de se enveredar por muitos caminhos, trajetos e forças políticas que, na maioria das vezes, nem se imaginam haver. Desde a elaboração até sua publicação, as Leis Nº 4.024/61; Nº 5.692/71 e Nº 9.394/96, que tratam das Diretrizes e Bases da Educação do Brasil, passaram por processos similares, levando meses, anos e até décadas para se constituírem como tal. Este artigo tem por objetivo fazer uma análise destas Leis, levando em consideração o contexto de suas respectivas elaborações e refletindo sobre o que estas representaram para a Educação Profissional e Tecnológica – EPT. Como pressupostos metodológicos, está pautado num estudo de natureza bibliográfica e analítica das leis mencionadas (DUARTE, BARROS, 2006) e apoiado em produções científicas sobre a LDB por um dos maiores especialistas da área, o professor Demerval Saviani (2016) e outros estudiosos da educação, a exemplo de Frigotto (2007), Libâneo (2012), Moura (2007), Ramos (2008/2010). Desta análise conclui-se o quão pouco essas leis e, sobretudo, suas normatizações para a EPT trouxeram de significativo no sentido de tornar a educação mais democrática, humanística e centrada num projeto não apenas de ensino e aprendizagem, mas sobremaneira de sociedade e, referente à EPT, omnilateral (MANACORDA, 2012), integral e politécnica no seu sentido mais amplo.

Palavras-chave: Leis. Educação. Educação Profissional e Tecnológica.


Texto completo:

PDF

Referências


AULETE, Caldas. Minidicionário contemporâneo da língua portuguesa. Organizador: Paulo Geiger. 3º ed. Rio de Janeiro: Lexikon, 2011.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

BRASIL. Senado Federal. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: nº 4024/61. Brasília: 1961.

BRASIL. Lei nº5692, de 11 de agosto de 1971. Fixa Diretrizes e Bases para o ensino de 1º e 2º graus, e dá outras providências. MEC. Ensino de 1º e 2º grau.

BRASIL, Lei de Diretrizes e Bases. Lei nº 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996.

DUARTE, Jorge e BARROS, Antônio. Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação. 2º ed. São Paulo: Atlas, 2006.

FRIGOTTO, Gaudêncio. A Relação da Educação Profissional e Tecnológica com a Universalização da Educação Básica. Educ. Soc., Campinas, vol. 28, n. 100 - Especial, p. 1129-1152, out. 2007. Disponível em: http://www.cedes.unicamp.br. Acesso em: 25 mar. 2018.

FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise (Org.). Ensino médio integrado: concepção e contradições. 3º. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS. Centro de Pesquisa e Documentação da História Contemporânea do Brasil (CPDOC/FGV). Arquivos Jarbas Gonçalves Passarinho. Acesso em: 12 mar. 2018.

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS. Centro de Pesquisa e Documentação da História Contemporânea do Brasil (CPDOC/FGV). Arquivos Octávio Elísio. Acesso em: 12 mar. 2018.

IBPT: Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação. Disponível em: https://ibpt.com.br/. Acesso em: 25 mar. 2018.

LIBÂNEO, José Carlos. O dualismo perverso da escola pública brasileira: escola do conhecimento para os ricos, escola do acolhimento social para os pobres. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 38, n. 1, p. 13-28, 2012.

MANACORDA, Mário Alighiero. Marx e a Pedagogia Moderna. Tradução: Newton Ramos de Oliveira. Campinas, SP: Editora Alínea, 2010.

MÉZSAROS, István. A Educação para Além do Capital. [Tradução Isa Tavares]. 2ª ed. Revista, 1ª reimpressão, São Paulo: Boitempo, 2012.

MOURA, Dante Henrique. A Educação Básica e a Educação profissional e Tecnológica: Dualidade Histórica e perspectivas de Integração. Holos. Ano 23, Vol. 2 – 2007.

RABELO, Jackline; JIMENEZ, Susana; SEGUNDO, Maria das Dores Mendes (org.). O movimento de educação para todos e a crítica marxista. Fortaleza: Imprensa Universitária, 2015.

RAMOS, Marise. Trabalho, educação e correntes pedagógicas no Brasil: um estudo a partir da formação dos trabalhadores técnicos da saúde. Rio de Janeiro: EPSJV, UFRJ 2010.

______________. Concepção de Ensino Médio Integrado. Secretaria de Educação do Estado do Paraná, 2008.

SAVIANI, Dermeval. A Nova lei da Educação: trajetórias, limites e perspectivas. 13º ed. rev. Campinas, SP: Autores Associados, 2016.

______________. Sistema Nacional de Educação e Plano Nacional de Educação: significado, controvérsias e perspectivas – Campinas, SP: Autores Associados, 2014.

SENRA, Álvaro de Oliveira. Educação e liberalismo no Pensamento de Clemente Mariani. Revista de História e Historiografia da Educação. V.1, n. especial, 2017. Acesso em: 10 mar. 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 
Atribuição 

CC BY

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Esta licença permite que outros distribuam, remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho, mesmo para fins comerciais, desde que lhe atribuam o devido crédito pela criação original. 

Contato:
Revista Sítio Novo
Kallyana Moraes Carvalho Dominices
Editora-Chefe
Instituto Federal do Tocantins - Reitoria
Avenida Joaquim Teotônio Segurado, Quadra 202 sul, ACSU-SE 20, Conjunto 01, Lote 08 - Plano Diretor Sul
Palmas, Tocantins - Brasil
Cep: 77.020-450
Telefone: 63 3229-2214

e-ISSN: 2594-7036

 

Bases de Dados, Diretórios, Repositórios e/ou Indexadores

 GoogleScholar  BASE - Bielefeld Academich Search EngineResultado de imagem para logo cabi abstracts