A educação ambiental no Monumento Natural das Árvores Fossilizadas do Tocantins

Lucas Lima Moreira, Ana Carolina Resende Maia

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar e discutir as práticas de Educação Ambiental (EA) aplicadas pelo Monumento Natural das Árvores Fossilizadas do Tocantins (Monaf). A coleta e análise dos dados foram realizadas a partir do Plano de Manejo, assim como do relato do Supervisor do Monaf obtido em uma visita à sua sede, orientadas pelas hipóteses e referências teóricas. O Monaf possui em seu Plano de Manejo um Subprograma de EA (SEA) que prevê a realização de diversas atividades, com requisitos e prioridades, para o alcance de resultados e objetivos. O foco principal do Monaf quanto à EA tem sido a comunidade de produtores rurais inseridos no interior da Unidade. Entre as atividades contínuas realizadas pelo Monumento e que promovem a EA, destacam-se as visitas guiadas e as rondas de monitoramento, pois tornam o Monaf conhecido e reduzem práticas ilícitas. Por falta de apoio e parcerias, algumas das atividades acontecem pontualmente, a exemplo da capacitação dos professores locais, e devido à carência de infraestrutura, o Monaf tem realizado poucos eventos em sua sede, mas procura participar dos realizados pela comunidade e escolas, utilizando dos espaços e ocasiões para ministrar palestras, por exemplo. Concluiu-se que a EA exercida pelo Monaf segue uma tendência conservacionista e tem se concentrado na sensibilização dos seus usuários, visando principalmente minimizar os impactos gerados pelo conflito de interesses e atividades no seu interior e entorno. A falta de recursos humanos e financeiros tem proporcionado um alcance tímido e parcial dos objetivos e resultados do SEA.

Palavras-chave: Meio ambiente. Plano de manejo. Sustentabilidade. Unidades de conservação.


Texto completo:

PDF

Referências


ARAUJO, A. N. Educação Ambiental e Interdisciplinaridade: Um Olhar sobre as Escolas de Planaltina-DF. Monografia. Orientador: Philippe Pomier Layrargues. Faculdade UnB Planaltina, Universidade de Brasília. Brasília – DF, 2014.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BIANCONI, M. L.; CARUSO, F. Educação não formal. Cienc. Cult., São Paulo, v. 57, n. 4, Oct./Dec. 2005. Disponível em: http://cienciaecultura.bvs.br/scielo.php?pid=S000967252005000400013&script=sci_arttext. Acesso em: 01 mai. 19.

BRASIL. Lei nº 9795 (1999). Política Nacional de Educação Ambiental. Brasília, DF: Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9795.htm. Acesso em: 30 mar. 2019.

BRASIL. Lei 9.985, de 18 de julho de 2000. Sistema Nacional de Unidades de Conservação. Brasília, Disponível em: http://www.planalto.gov.br/CCivil_03/LEIS/L998 5.htm. Acesso em: 03 abr. 2019.

CAPRETZ, R.; ROHN, R. Lower Permian stems as fluvial paleocurrent indicators of the Parnaíba Basin, northern Brazil. Journal Of South American Earth Sciences, [s.l.], v. 45, p.69-82, ago. 2013.

COSTANTIN, A. M. Análise da influência do Monumento Natural das Arvores Fossilizadas do Tocantins (MNAFTO) sobre a população local. 2017. Monografia (Doutorado) – Curso de Ambiente e Desenvolvimento, Universidade do Vale do Taquari - Univates, Lajeado, 29 jun. 2017. Disponível em: http://hdl.handle.net/10737/1725. Acesso em: 04 jun. 2019.

DIAS-BRITO, D.; ROHN; R.; CASTRO, J.C.; DIAS, R.R. & RÖSSLER, R. Floresta Petrificada do Tocantins Setentrional - O mais Exuberante e importante registro Florístico Tropical-Subtropical Permiano no Hemisfério Sul. In: Winge,M.; Schobbenhaus, C.; Berbert-Born, M.; Queiroz, E.T.; Campos, D.A.; Souza, C.R.G.; Fernandes, A.C.S. (Eds.) Sítios Geológicos e Paleontológicos do Brasil. 2007. Disponível em: http://sigep.cprm.gov.br/sitio104/sitio104.pdf. Acesso em: 04 jun. 2019.

IBAMA (Ed.). Educação Ambiental: As Grandes Diretrizes da Conferência de Tbilisi. Brasília: Ibama, 1997. 154 p. Disponível em: https://www.ibama.gov.br/sophia/cnia/livros/educacaoambientalasgrandesdiretrizesdaconferenciadetblisidigital.pdf. Acesso em: 29 mar. 2019.

JACOBI, P. Educação Ambiental, Cidadania e Sustentabilidade. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 118, p.189-205, mar. 2003. Disponível em: http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/cp/article/view/533. Acesso em: 09 abr. 2019.

KRIPKA, R. M. L.; SCHELLER, M.; BONOTTO, D. de L. La investigación documental sobre la investigación cualitativa: conceptos y caracterización. Revista de Investigaciones Unad, [s.l.], v. 14, n. 2, p.55-73, 24 nov. 2015.

MACHADO, C. A.; SOUZA, B. P. de. Potencial paisagístico na unidade de conservação Monumento Natural das Árvores Fossilizadas do Tocantins (Monaf), Município de Filadélfia (TO). Caminhos de Geografia, [s.l.], v. 19, n. 68, p.250-265, 19 dez. 2018.

MENDES, L.; NUNES, D. de F.; PIRES, E. F. Avaliação do conhecimento paleontológico com intervenção em escolas de ensino médio: um estudo de caso no Estado do Tocantins. Holos, [s.l.], v. 8, p.384-396, 13 jan. 2016.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE (Org.). Recomendações de Tbilisi. Disponível em: http://www.mma.gov.br/informma/item/8065-recomenda%C3%A7%C3%B5es-de-tbilisi. Acesso em: 30 mar. 2019.

MONAF (Naturatins). Sistema de Gestão de Unidades de Conservação do Tocantins (Gesto). Tocantins, 2019. Software web.

MONAF (Naturatins). [Sem título]. 2015. 4 fotografias.

MONAF (Naturatins). Mapa de localização do Monumento Natural das Árvores Fossilizadas. Palmas, 2017. 1 mapa. Escala 1:950.000.

NEREGATO, R. Esfenóitas do monumento natural das árvores fossilizadas do Tocantins, Bacia do Parnaíba (Permiano, Brasil). 2012. 189 f. Tese - (doutorado) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Instituto de Geociências e Ciências Exatas de Rio Claro, 2012. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/102860. Acesso em: 04 jun. 2019

NEVE, N. M. et al. Educação Ambiental em Unidades de Conservação em Alegre-ES. Revista Práxis, [s.l.], v. 7, n. 13, p.33-46, 26 fev. 2016. http://dx.doi.org/10.25119/praxis-7-13-689.

OLIVEIRA, M. P. Análise dos métodos de sensibilização dos programas de educação ambiental de três unidades de conservação do Distrito Federal. Dissertação de Mestrado em Engenharia Florestal, Publicação PPG EFL.DM-269/2016, Departamento de Engenharia Florestal, Universidade de Brasília, Brasília, DF, 99 p, 2016.

QUEIROZ, E. D. de; GUIMARÃES, M. O trabalho de campo em unidades de conservação como ambiente educativo e estratégia pedagógica fundamental para uma formação diferenciada em educação ambiental. Revista de Políticas Públicas, [s.l.], v. 20, p.421-425, 9 jan. 2017.

RAYNAUT, C.; ZANONI, M.; LANA, P. da C. O desenvolvimento sustentável regional: o que proteger? Quem desenvolver?. Desenvolvimento e Meio Ambiente, [s.l.], v. 47, p.275-289, 26 out. 2018.

RODRIGUES, L.; CAMPANHÃO, L. M. B.; BERNARDI, Y. R. Tendências político-pedagógicas de educação ambiental em unidades de conservação: o caso dos parques estaduais de São Paulo. Revista Brasileira de Educação Ambiental, São Paulo, v. 13, n. 1, p.192-212, 2018.

RÖSSLER, R. Two remarkable Permian petrified forests: correlation, comparison and significance. Geological Society, London, Special Publications, [s.l.], v. 265, n. 1, p.39-63, 2006.

SOUZA, W.; AGUIAR, R. G. Propondo novos saberes com a Educação Ambiental no entorno de uma unidade de conservação no sudoeste da Amazônia Ocidental. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE AGROECOLOGIA, 10., 2017, Brasília. Cadernos de Agroecologia - Anais do VI CLAA, X CBA e V SEMDF. Rio de Janeiro: Aba-agroecologia, 2018. v. 13, p. 8 - 14.

TAVARES, T. M. V. et al. Monumento natural das árvores fossilizadas do Tocantins: contribuições e desafios. Desafios - Revista Interdisciplinar da Universidade Federal do Tocantins, [s.l.], v. 3, n. 2, p.51-64, 2016.

TOCANTINS. Naturatins. Secretaria do Planejamento e Meio Ambiente (Org.). Plano de Manejo. Palmas: Consórcio Oikos / Mrs, 2005. Disponível em: http://gesto.to.gov.br/uc/44/zoneamento/. Acesso em: 10 abr. 2019.

TOLEDO, R. F. de; PELICIONI, M. C. F. A educação ambiental nos parques estaduais paulistas no âmbito das recomendações de Tbilisi. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 1, n. 2, p.57-64, 2006.

VALENTI, M. W. et al. Educação ambiental em unidades de conservação: políticas públicas e a prática educativa. Educação em Revista, [s.l.], v. 28, n. 1, p.267-288, mar. 2012.

VALENTI, M. W.; IARED, V. G.; OLIVEIRA, H. T. de. Potencial das atividades de uso público do Núcleo Picinguaba do Parque Estadual da Serra do Mar (SP) para uma educação ambiental crítica. Ciência & Educação (bauru), [s.l.], v. 21, n. 3, p.709-724, set. 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 
Atribuição 

CC BY

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Esta licença permite que outros distribuam, remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho, mesmo para fins comerciais, desde que lhe atribuam o devido crédito pela criação original. 

Contato:
Revista Sítio Novo
Kallyana Moraes Carvalho Dominices
Editora-Chefe
Instituto Federal do Tocantins - Reitoria
Avenida Joaquim Teotônio Segurado, Quadra 202 sul, ACSU-SE 20, Conjunto 01, Lote 08 - Plano Diretor Sul
Palmas, Tocantins - Brasil
Cep: 77.020-450
Telefone: 63 3229-2214

e-ISSN: 2594-7036

 

Bases de Dados, Diretórios, Repositórios e/ou Indexadores

 GoogleScholar  BASE - Bielefeld Academich Search EngineResultado de imagem para logo cabi abstracts