Triste, louca ou má: música e emancipação feminina

Juliana Abrão da Silva Castilho

Resumo


A música “Triste, louca ou má”, da banda Francisco, El Hombre, é objeto de análise deste artigo, que utiliza referências sociológicas e históricas para realizar a interpretação da letra. Considerou-se tal letra, na qualidade de poesia moderna, texto que narra o processo de emancipação e a busca por direitos iguais das mulheres. Os dilemas vividos pelo eu lírico da canção/poesia são semelhantes aos de todas as pessoas que buscam igualdade de direitos e sofrem uma série de coerções sociais por este motivo. O artigo apresenta algumas contribuições para o uso dos estudos sobre modernidade, identidade e gênero para discutir os principais aspectos da crítica social que o texto poético da canção aborda.

Palavras-chave: Análise social. Música. Perspectiva de gênero.


Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1979. 229 p.

BASILIO, Márcio Pereira. Tempos Líquidos. Sociologias, Porto Alegre, n. 23, p. 438-449, abr. 2010.

BAUER, Martin W.; GASKELL, George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Editora Vozes Limitada, 2017.

BAUMAN, Zygmunt. O mal-estar da pós-modernidade. Zahar, 1999.

__________________. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

BERGER, Peter. Perspectivas sociológicas: uma visão humanística. Petrópolis: Vozes, v. 2014, 1976.

CAREGNATO, Rita Catalina Aquino; MUTTI, Regina. Pesquisa qualitativa: análise de discurso versus análise de conteúdo. Texto contexto enferm, v. 15, n. 4, p. 679-84, 2006.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, v. 1, 2002.

DE OLIVEIRA FRAGOSO, Tiago. Modernidade líquida e liberdade consumidora: o pensamento crítico de Zygmunt Bauman. Perspectivas Sociais, n. 1, 2011.

DIAS, Maria Odila Leite da Silva. Teoria e métodos dos estudos feministas: perspectiva histórica e hermenêutica do cotidiano. In: Costa, A.; Bruschini, C. (Orgs.). Uma questão de gênero. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1992, p. 39-53.

DO NASCIMENTO, Adriano Roberto Afonso; MENANDRO, Paulo Rogério Meira. Análise lexical e análise de conteúdo: uma proposta de utilização conjugada. Estudos e pesquisas em psicologia, v. 6, n. 2, p. 72-88, 2006.

FRANCISCO, EL HOMBRE. Triste, louca ou má. Soltasbruxa. São Paulo: Navegantes, 2016.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. Campinas: Loyola, 1996.

GIDDENS, Anthony. As consequências da modernidade. Unesp, 1990.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade; tradução Tomáz Tadeu da Silva, Guacira Lopes Louro. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Manifesto comunista. São Paulo: Boitempo, (1948) 2015.

OKIN, Susan Moller. Gênero, o público e o privado. Tradução: Flávia Biroli. Revista Estudos Feministas, v. 16, n.2, Florianópolis, maio/ago. 2008.

PERROT, Michelle. Práticas da memória feminina. Revista brasileira de história, v. 9, n. 18, p. 9-18, 1989.

PIERUCCI, A.F. O desencantamento do mundo. São Paulo: Editora 34, 2003.

REINERT, M. ALCESTE. Une méthodologie d'analyse des données textuelles et une application: Aurélia de G. de Nerval. Bulletin de Méthodologie Sociologique, n. 28 p. 24-54, 1990.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade. Porto Alegre, v. 20, n. 2, jul./dez. p. 71-99, 1995.

_________. O enigma da igualdade. Estudos Feministas, 13, v. 1, p. 11-30, 2005.

SCOTT, Joan, et al. Os usos e abusos do gênero. Projeto História. Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados de História. v. 45, 2012.

SEVCENKO, Nicolau. A corrida para o século XXI: no loop da montanha-russa. Editora Companhia das Letras, 2001.

TAGG, Philip. Analisando a música popular: teoria, método e prática. Em Pauta, v. 14, n. 23, p. 5, 2003.

WEISS, Raquel. Max Weber e o problema dos valores: as justificativas para a neutralidade axiológica. Revista de Sociologia e Política, v. 22, n. 49, p. 113-137, 2014.

WEBER, Max. A ciência como vocação. In: _____. Ciência e Política duas vocações. São Paulo: Cultrix, 1999.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 
Atribuição 

CC BY

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Esta licença permite que outros distribuam, remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho, mesmo para fins comerciais, desde que lhe atribuam o devido crédito pela criação original. 

Contato:
Revista Sítio Novo
Kallyana Moraes Carvalho Dominices
Editora-Chefe
Instituto Federal do Tocantins - Reitoria
Avenida Joaquim Teotônio Segurado, Quadra 202 sul, ACSU-SE 20, Conjunto 01, Lote 08 - Plano Diretor Sul
Palmas, Tocantins - Brasil
Cep: 77.020-450
Telefone: 63 3229-2214

e-ISSN: 2594-7036

 

Bases de Dados, Diretórios, Repositórios e/ou Indexadores

 GoogleScholar  BASE - Bielefeld Academich Search EngineResultado de imagem para logo cabi abstracts