Educação inclusiva em Itapipoca (CE): fragmentos de um estudo de caso

Ailton Batista de Albuquerque Junior, Ana Cláudia Uchoa Araújo, Edite Batista de Albuquerque

Resumo


Este trabalho objetiva investigar a educação inclusiva no que concerne à efetividade do processo de inclusão de sujeitos com necessidades educacionais especiais, transtornos globais do desenvolvimento, altas habilidades e/ou superdotação, problemas de aprendizagens, entre outros, visando interpelar os docentes acerca de sua formação inicial e continuada em inclusão, suas concepções, crenças, entendimento e até possíveis preconceitos, estigmas e rotulações no que concerne ao exercício do magistério no cotidiano escolar de uma escola pública do município de Itapipoca, no estado do Ceará. Para isso, busca como base metodológica o estudo de caso, baseado numa investigação in loco, com o auxílio das técnicas de observação participante e questionário semi-estruturado, procurando deslindar aquela realidade. Quanto ao referencial teórico, este estudo pauta-se em Alves & Araújo (2017), Araújo (2018), Araújo et al (2018) Bortolini, Sartoreto & Giroto (2016), Cordeiro (2015), Lewkowicz, Bressan & Buss (2019), Makida-Dionísio, Martins, & Gimenez (2016), Masson (2016)Mendes (2017) Moraes et al (2015) Pernambuco (2019), Pimentel, Falcão & Santos (2017), Putti (2019), Rodrigues (2017) Santos & Duque (2016), Silva, Costa, Mussi (2018), Razaboni Junior, Leão Junior & Sanches (2018), Yin (2015), Zanette (2017), Zanato (2017), dentre outros  que tratam de questões essenciais ao estudo da inclusão. Os sujeitos participantes da pesquisa, compuseram uma amostra de 30 docentes de uma população de 74 profissionais, configurando 40,54% de respondentes. Pode ser destacado, a partir da investigação, que a inclusão não significa apenas um discente com deficiência estar numa sala regular. Por isso, o Poder Público deve implementar e efetivar Políticas Públicas, intentando possibilitar condições favoráveis e reais para aprendizagens significativas aos sujeitos que necessitam de novas estratégias profícuas de ensino-aprendizagem nas dimensões teórico-metodológicos e técnico-operacionais, vislumbrando o desenvolvimento de sua autonomia.

Palavras-chave: Currículo. Direitos Humanos. Formação. Inclusão. Metodologia.


Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Luana Adriano. Os desafios para a efetivação do direito à educação inclusiva: igualdade, diferença e deficiência nas escolas públicas municipais de Fortaleza (CE). Universidade Federal do Ceará (UFC). Programa de Pós-graduação em Direito. Mestrado acadêmico, Fortaleza, 2018.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR nº 9050: Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. Rio de Janeiro, 2004.

BRASIL. LEI Nº 13.146, DE 06 DE JULHO DE 2015. Institui a Lei brasileira de inclusão da pessoa com deficiência. Disponível em:< http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm>. Acesso em: 31 ago. 2019.

______. DECRETO Nº 5.296 DE 2 DE DEZEMBRO DE 2004.

Regulamenta as Leis nos 10.048, de 8 de novembro de 2000, que dá prioridade de atendimento às pessoas que especifica, e 10.098, de 19 de dezembro de 2000, que estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/decreto/d5296.htm. Acesso em: 20 out 2019.

______, RESOLUÇÃO Nº 466, DE12 DE DEZEMBRO DE 2012. Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Disponível em:< http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html >. Acesso em: 04 set.2019.

______, RESOLUÇÃO Nº 510, DE 07 DE ABRIL DE 2016. Dispõe sobre as normas aplicáveis a pesquisas em Ciências Humanas e Sociais. Disponível em: < http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2016/Reso510.pdf >. Acesso em: 5 set. 2019.

BORTOLINI, Rosimar Poker; SARTORETO, Sandra Eli de Oliveira Martins; GIROTO, Claudia Regina Mosca (Org.) Educação Inclusiva: em foco a formação de professores. Cultura Editora Acadêmica, São Paulo, 2016.

CEARÁ. Portaria 0998/2013-GAB. Fortaleza: Seduc, 2018. Disponível em:< http://www.spaece.caedufjf.net/portaria-09982013-gab/ > . Acesso em: 30 de ago. 2019.

CORDEIRO, K. Inclusão escolar: um direito humano. Nov. 2015. Disponível em < http://nossacausa.com/inclusao-escolar-um-direito-humano/>. Acesso em: 08 set. 2019.

DELORS, Jacques (Coord.). Os quatro pilares da educação. In: Educação: um tesouro a descobrir. São Paulo: Cortez, 1998.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

HOFFMANN, Jussara. Avaliação mediadora: uma prática em construção da pré-escola à universidade. – 33. Ed. - Porto Alegre: Mediação, 2014.

KRIPKA, Rosana Maria Luvezute; SCHELLER, Morgana; BONOTTO, Danusa de Lara. Pesquisa documental na pesquisa qualitativa: conceitos e caracterização. Revista de investigaciones UNAD. Bogotá - Colômbia No. 14, julio-diciembre/2015.

LEWKOWICZ, Alexandra Aline; BRESSAN, Luiza Liene; BUSS, Beatriz Schueroff. Inclusão em foco: um estudo de caso sobre um deficiente que possui surdocegueira no ensino regular. Revista Educação Especial. v. 32 – Santa Maria/ RS, 2019.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem: componente do ato pedagógico. São Paulo: Cortez, 2002.

MAKIDA-DIONÍSIO, C.; MARTINS, I.C. e GIMENEZ, R. Inclusão escolar: uma reflexão sobre a transição da educação infantil para o ensino fundamental. Comunicações, v.23, n.2, p. 207-224, 2016.

MANTOAN, Maria Teresa Eglér e colaboradores. Inclusão escolar: pontos e contrapontos. São Paulo: Summuns editorial, 2006.

MARCONI, M. D. A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisas, elaboração, análise e interpretação de dados. 3.ed. São Paulo: Atlas, 1996.

MASSON, Nathalia. Manual de direito constitucional. 4. ed. rev. amp. e atual. Salvador: JusPODIVM, 2016.

MENDES, Katiuscia Aparecida Moreira de Oliveira. Educação especial inclusiva nos institutos federais de educação, ciência e tecnologia brasileiros. Universidade Federal de Goiás. Programa de Pós-Graduação em Educação, Goiânia, 2017.

MORAES, Carolina Francisca Amor de; GUERRA, Kellen Suly Silva; BEATO, Michelle Costa; BORDIGNON, Noemy Lacerda; SILVA, Roseli Carvalho Nunes da; PINOLA, Andréa R. Rosin. Necessidades e reflexões do professor diante da inclusão de alunos com autismo. Revista Científica Eletrônica UNISEB, Ribeirão Preto, v.5, n.5, p.184-199, jan./jun.2015.

OLIVEIRA, Anna Augusta Sampaio de; VALENTIM, Fernanda Oscar Dourado; SILVA, Luis Henrique. Avaliação pedagógica: foco na deficiência intelectual numa perspectiva inclusiva – São Paulo: Cultura Acadêmica; Marília: Oficina Universitária, 2013.

PERNAMBUCO, Ministério Público do Estado de. Educação inclusiva: marcos legais e perspectivas de ações para a implementação. Daniella Cordeiro Cruz Silva Santos, Luciana Enilde de Magalhães Lyra MACEDO. Organização – CAOP- Educação. 2 ed. Revisada e atualizada, Recife, Procuradoria Geral de Justiça, 2019.

PIAGET, J. Seis estudos de Psicologia. Rio de Janeiro: Forense Universitária Ltda., 1990.

PIMENTEL, Krissia Pereira; FALCÃO, Ana Carolina Nogueira; SANTOS, Joyce Duailibe Laignier Barbosa. Políticas de inclusão de crianças com necessidades específicas nas escolas municipais de Paraíso do Tocantins. Revista Sítio Novo – Vol. 1 – Ano 2017.

PUTTI, Alexandre. Bolsonaro extingue o Conselho dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Carta Capital. 12 de abril de 2019. Disponível em: https://www.cartacapital.com.br /politica/bolsonaro-extingue-o-conselho-dos-direitos-da-pessoa-com-deficiencia/ Acesso em: 30 jul.2019.

RODRIGUES, Leandro. O que é Educação Inclusiva? um passo a passo para a inclusão escolar.15 de agosto de 2017. Instituto Itard: cursos de educação especial. Disponível em:< https://institutoitard.com.br/o-que-e-educacao-inclusiva-um-passo-a-passo-para-a-inclusao-escolar/>. Acesso em: 31 ago. 2019.

SANTOS, Bianca Goulart dos; DUQUE, Marcelo Schenk. Análise das ações afirmativas relativas à educação inclusiva no ensino do autista: a necessidade de monitor em sala de aula. Revista da Faculdade de Direito da UFRGS, Porto Alegre, n. 35, p. 99-115, dez. 2016.

SASSAKI, R. K. Inclusão: construindo uma sociedade para todos. 8ª ed. Rio de Janeiro: WVA, 2010.

SILVA, Linda Carter Souza da; SILVA, Luzia Guacira dos Santos. Inclusão escolar e educação em direitos humanos: as concepções de um aluno cego. Revista Educação Especial, v. 32, Santa Maria: Universidade Federal de Santa Maria, 2019.

SILVA, Osni Oliveira Noberto; COSTA, Laura Emmanuela Lima; MUSSI, Ricardo Franklin de Freitas (Org.) Educação Física e as pessoas com deficiência. Goiânia: Editora Kelps, 2018.

STAINBACK, S.; STAINBACK, W. Inclusão: um guia para educadores. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999.

RAZABONI JUNIOR, Ricardo Bispo; LEÃO JUNIOR, Teófilo Marcelo de Arêa; SANCHES, Raquel Cristina Ferraroni. A educação inclusiva para pessoas com deficiência e o papel da UNESCO. Revista da Faculdade de Direito da UFRGS, Porto Alegre, n. 38, p. 140-153, ago. 2018.

VASCONCELLOS, C. dos S. Planejamento: Projeto de Ensino-Aprendizagem e Projeto Político Pedagógico – elementos metodológicos para elaboração e realização. 24 ed. São Paulo: Libertad, 2014.

VEIGA, Ilma Passos da. Projeto político-pedagógico da escola: uma construção coletiva. In: VEIGA, Ilma Passos da (org.). Projeto político-pedagógico da escola: uma construção possível. Campinas: Papirus, 1998.

VYGOTSKY, L.S. Obras completas. Tomo cinco: Fundamentos de Defectologia. Havana: Editorial Pueblo Y Educación; 1989.

YIN, Robert K. Estudo de Caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2015.

ZANATO, Caroline; GIMENEZ, Borges Roberto. Educação inclusiva: um olhar sobre as adaptações curriculares. Revista ambiente e educação. Universidade Cidade de São Paulo. Vol. 10 - nº 2, jul/dez, 2017.

ZANETTE, M.S. Pesquisa qualitativa no contexto da Educação no Brasil. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 65, p. 149-166, jul./set. 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 
Atribuição 

CC BY

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Esta licença permite que outros distribuam, remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho, mesmo para fins comerciais, desde que lhe atribuam o devido crédito pela criação original. 

Contato:
Revista Sítio Novo
Kallyana Moraes Carvalho Dominices
Editora-Chefe
Instituto Federal do Tocantins - Reitoria
Avenida Joaquim Teotônio Segurado, Quadra 202 sul, ACSU-SE 20, Conjunto 01, Lote 08 - Plano Diretor Sul
Palmas, Tocantins - Brasil
Cep: 77.020-450
Telefone: 63 3229-2214

e-ISSN: 2594-7036

 

Bases de Dados, Diretórios, Repositórios e/ou Indexadores

 GoogleScholar  BASE - Bielefeld Academich Search EngineResultado de imagem para logo cabi abstracts