Análise comparativa da curva de viscosidade e do índice de fluidez de dois grades de polipropileno utilizando reometria capilar

Agmar José de Jesus Silva

Resumo


Neste artigo, dois diferentes graus de polipropileno, denominados de PP01 e PP02, foram recebidos como proposta de trabalho experimental em uma disciplina do curso de especialização em processamento de plásticos e borrachas do IMA/UFRJ. Tal proposta questionou como os autores poderiam determinar a melhor técnica de processamento para cada polímero utilizando apenas conceitos de reometria capilar. Para tal, os polímeros foram avaliados comparativamente em relação aos perfis de suas curvas de viscosidade e ao índice de fluidez (IF ou MFI), com o intuito de avaliar a dependência da viscosidade e do MFI frente à relação estrutura e propriedades desses materiais. Em particular, a medida indireta do peso molecular (prevista pelo valor do MFI) foi utilizada como parâmetro de comparação do comportamento em fluxo dos materiais. Observou-se que ambos os polipropilenos apresentaram uma curva de viscosidade composta apenas pelo platô de região não newtoniana, evidenciando um forte regime de pseudoplasticidade. Adicionalmente, foi possível notar que a curva de viscosidade do PP02 assumiu valores superiores em relação ao PP01 (60,4 a 1924,7 Pa.s contra 50,3 a 1435 Pa.s, respectivamente), implicando a geração de tensões cisalhantes também superiores em relação ao PP01 (1,7 x 105 a 2,2 x 104 Pa contra 1,4 x 105 a 1,6 x 104 Pa, respectivamente). Quando viscosidade e MFI foram comparados conjuntamente, constatou-se que o PP01 apresentou MFI maior (20,52 ± 5,64 g/10min com pistão de 5 kg ou 4,24 ± 0,15 g/10min com pistão de 2,16 kg) e, portanto, viscosidade menor em relação ao PP02 (MFI de 12,84 ± 1,72 g/10min com pistão de 5 kg ou 2,72 ± 0,20 g/10min com pistão de 2,16 kg). Os resultados de MFI foram coerentes com os perfis das curvas de viscosidade, sugerindo um maior peso molecular para o PP02 comparativamente ao PP01. Dessa forma, a técnica sugerida para o processamento do PP02 foi extrusão, enquanto para o PP01, moldagem por injeção.


Palavras-chave


Polipropileno. Curva de viscosidade. Índice de fluidez. Reometria capilar.

Texto completo:

PDF

Referências


AKCELRUD, L. Fundamentos de ciência dos polímeros. Barueri: Editora Manole, 1ª edição, 2007.

ALMEIDA, R. S. Influência da velocidade de rotação no processo de extrusão do polipropileno virgem e reciclado. 86 p. Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Campinas, SP, 2010.

ARAÚJO, R. S.; PITA, V. J. R. R.; FARAH, M.; CANTO, L. B. Propriedades reológicas do polipropileno linear e ramificado. In: Anais do 10° Congresso Brasileiro de Polímeros, Foz do Iguaçu, PR, 2009. Disponível em:

https://www.ipen.br/biblioteca/cd/cbpol/2009/PDF/1155.pdf. Acesso em: 4 fev. 2020.

ASTM D 1238 – 10, Standard test method for melt flow rates of thermoplastics by extrusion plastometer. American Society for Testing Materials, West Conshohocken, Pennsylvania, Estados Unidos, 2010.

BATALIOTTI, M. D. Avaliação da degradação do polipropileno sob múltiplas extrusões com e sem antioxidante. 2016. 43 p. Trabalho de Conclusão de Curso, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, UTFPR, Londrina, PR, 2016.

BRETAS, R. S.; D’ÁVILA, M. A. Reologia de polímeros fundidos. São Carlos: Editora EdUFSCAR, 2ª edição, 2010.

CANEVAROLO JR., S. V. Ciência dos polímeros: um texto básico para tecnólogos e engenheiros. São Paulo: Editora Artliber, 2a edição, 2002.

CHANDA, M. Plastics technology handbook. Boca Raton: CRC Press, 5th edition, 2017.

DORNA, M. Z. Estudo da degradação da poliamida 11 pela técnica de índice de fluidez (MFI). 2016. 64 p. Trabalho de Conclusão de Curso, Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Rio de Janeiro, RJ, 2016.

SILVA, A. J. J.; COSTA, M. F. Avaliação mecânica de materiais poliméricos utilizando indentação instrumentada (TII): Revisão de conceitos e estudo de caso. Revista de Engenharia e Tecnologia, v. 11, n. 4, p. 212–224, 2019.

MANO, E. B.; MENDES, L. C. Introdução a polímeros. São Paulo: Editora Edgard Bluncher, 2ª edição, 1999.

MANRICH, S. Processamento de termoplásticos. São Paulo: Editora Artliber, 2ª edição, 2013.

ROCHA, M. C. G.; COUTINHO, F. M. B.; BALKE, S. Índice de fluidez: uma variável de controle de processos de degradação controlada de polipropileno por extrusão reativa. Polímeros: Ciência e Tecnologia, v. 4, n. 3, pp. 33–37, 1994.

SOARES, E. P.; SILVA, P. M.; AGRAWAL, P.; MÉLO, T. J. A. Efeito do índice de fluidez do polipropileno nas curvas de distribuição de tempos de residência em extrusora dupla rosca corrotacional. In: 21º CBECIMAT ̶ Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais, Cuiabá, MT, 2014. Disponível em:

http://www.metallum.com.br/21cbecimat/CD/PDF/403-018.pdf. Acesso em: 4 fev. 2020.

WIEBECK, H.; HARADA, J. Plásticos de engenharia: tecnologia e aplicações. São Paulo: Editora Artliber: 2a edição, 2012.


Apontamentos



 
Atribuição 

CC BY

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Esta licença permite que outros distribuam, remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho, mesmo para fins comerciais, desde que lhe atribuam o devido crédito pela criação original. 

Contato:
Revista Sítio Novo
Kallyana Moraes Carvalho Dominices
Editora-Chefe
Instituto Federal do Tocantins - Reitoria
Avenida Joaquim Teotônio Segurado, Quadra 202 sul, ACSU-SE 20, Conjunto 01, Lote 08 - Plano Diretor Sul
Palmas, Tocantins - Brasil
Cep: 77.020-450
Telefone: 63 3229-2214

e-ISSN: 2594-7036

 

Bases de Dados, Diretórios, Repositórios e/ou Indexadores

 GoogleScholar  BASE - Bielefeld Academich Search EngineResultado de imagem para logo cabi abstracts