A construção da vibrante múltipla, em palavras cognatas, por estudantes brasileiros de espanhol

Mayza Rosângela de Oliveira Duarte, José Rodrigues de Mesquita Neto

Resumo


Esta pesquisa tem como objetivo geral analisar a construção da vibrante múltipla em palavras cognatas dentro da interfonologia português brasileiro (PB) – espanhol como língua estrangeira (ELE). Dessa forma, buscaremos responder a seguinte pergunta: de que maneira emergem os róticos, em palavras cognatas, envolvendo o PB e o ELE produzidos por estudantes brasileiros? Temos como hipótese básica que a construção mais próxima da gramática fonológica da língua estrangeira (LE) se dá com maior grau de influência em palavras cognatas devido à aproximação lexical existente entre os idiomas. Ademais, a frequência de ocorrência também será um fator determinante. Essa pesquisa é de cunho quali-quantitativo, de corte transversal e quase-experimental. Tivemos como corpus a gravação de áudios de 4 alunos em formação, realizados por meio de 3 experimentos, um referente ao PB e dois ao ELE. Os resultados indicaram que o som emergente dos róticos no experimento do PB, nos contextos analisados, é o som fricativo. Em relação aos experimentos do ELE, a vibrante simples emerge com maior força no momento de fala livre. Além disso, no tipo fonotático Onset em início de palavra, a vibrante múltipla é predominante enquanto que em palavras com RR em posição intervocálica e <n,l,s> + R houve um maior número de realizações da vibrante simples.


Palavras-chave


Discentes. Interfonologia. Róticos. Espanhol como língua estrangeira. Português brasileiro.

Texto completo:

PDF PDF

Referências


BARBOZA, C. L. Efeitos da palatalização das oclusivas alveolares do português brasileiro no percurso de construção da fonologia do inglês língua estrangeira. 2013. 165f. Tese (Doutorado em Linguística) – Curso de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2013.

BRANDÃO, L. R. Yo hablo. Pero...¿Quién corrige? A correção de erros fonéticos persistentes nas produções em espanhol de aprendizes brasileiros. 2003. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Curso de Pós-Graduação em Linguística Aplicada, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2003.

BYBEE, J. Phonology and language use. Cambridge: Cambridge University Press, 2001.

CUNHA, C; CINTRA, L. Nova gramática do português contemporâneo. 5. ed. Rio de Janeiro: Lexicón, 2009.

DURÃO, A. B. La Interlengua. Madrid: Arco Libros, 2007.

FERNÁNDEZ, Y. R. A presença de erros na interlíngua de estudantes brasileiros aprendizes de espanhol. Revista Desempenho, Brasília, v.12, n.1, 2011.

FERNÁNDEZ, J. G. Fonética para profesores de español: de la teoría a la prática. Madrid: Arco/Libros. 2007.

FONTELLES et al., M. J. Metodologia da pesquisa científica: diretrizes para a elaboração de um protocolo de pesquisa. Ciências Saúde. Goiânia: UFG, 2009.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6ªed. São Paulo: Atlas, 2008.

GOMES, A. S. A vibrante múltipla espanhola em aprendentes de Espanhol como língua estrangeira na Bahia e em São Paulo: uma abordagem sociolinguística. 2013. 125f. Dissertação (Mestrado em Estudo de Linguagens) – Curso de Pós-Graduação em Estudo de Linguagens, Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2013.

LIMA, Luana Anastácia Santos de. Epêntese vocálica medial: uma análise variacionista da influência da língua materna (L1) na aquisição de inglês (L2). 2012. 129f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Curso de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2012.

MESQUITA, J. R. Interfonologia dos róticos na realização de professores de Espanhol como Língua Estrangeira: uma visão multirepresentacional. 2018. 145f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Linguagem) Curso de Pós-Graduação em Ciência da Linguagem. Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, Mossoró, 2018.

NAVARRO, T. Manual de pronunciación española. Madrid: CSIC, 1991.

PRAÇA, F. S. G. Metodologia da pesquisa científica: organização estrutural e os desafios para redigir o trabalho de conclusão. 08, nº 1, p. 72-87, JAN-JUL, 2015. Revista Eletrônica “Diálogos Acadêmicos” Disponível em: http://uniesp.edu.br/sites/_biblioteca/revistas/20170627112856.pdf. Acesso: 11/05/19.

SANTOS, J. P. A. Interferências fonético-fonológicas do espanhol no discurso de hispanofalantes aprendizes de português. 2016. 45f. Departamento de linguística, português e línguas clássicas - Universidade de Brasília, Brasília, 2016.

SILVA, K. C. Ensino-Aprendizagem do espanhol: O uso interlinguístico das vibrantes. 2007. 161f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Curso de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.47236/2594-7036.2020.v4.i3.188-203p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 
Atribuição 

CC BY

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Esta licença permite que outros distribuam, remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho, mesmo para fins comerciais, desde que lhe atribuam o devido crédito pela criação original. 

Contato:
Revista Sítio Novo
Kallyana Moraes Carvalho Dominices
Editora-Chefe
Instituto Federal do Tocantins - Reitoria
Avenida Joaquim Teotônio Segurado, Quadra 202 sul, ACSU-SE 20, Conjunto 01, Lote 08 - Plano Diretor Sul
Palmas, Tocantins - Brasil
Cep: 77.020-450
Telefone: 63 3229-2214

e-ISSN: 2594-7036

 

Bases de Dados, Diretórios, Repositórios e/ou Indexadores

 GoogleScholar  BASE - Bielefeld Academich Search EngineResultado de imagem para logo cabi abstracts