Atividades pedagógicas em grupos no ensino médio: a formatação ideal sob a ótica dos discentes do IFB - Campus Planaltina

Hênio Delfino Ferreira de Oliveira, Lucas de Souza Bombardi, Ingrid Johanna Ribeiro dos Santos, Eduarda do Santos de Sousa, Ana Clara Medeiros Scharnberg

Resumo


Trabalhar em equipe é algo fundamental quando se vive em sociedade. As instituições de ensino, inseridas nessa realidade, possuem entre os seus papéis o de formação para além do desenvolvimento profissional, ou seja, ensinar a conviver, desenvolvendo habilidades sociais e colaborativas. Os professores certamente utilizam diferentes configurações de grupos para realizar atividades pedagógicas, entretanto é necessário entender como os alunos se percebem nessa dinâmica para repensar o tamanho ou o formato mais eficaz de um grupo de estudo. Dessa forma, buscou-se identificar os pontos de atenção quando grupos são formados durante atividades pedagógicas. Objetivou-se identificar a melhor formatação a partir da visão de um grupo de estudantes do ensino médio e para isso, no Campus Planaltina do IFB – Instituto Federal de Brasília, ao final de 2019, 248 alunos do Curso Técnico em Agropecuária, único curso de ensino médio do Campus, participaram de uma pesquisa de opinião a respeito das potencialidades e dos desafios de se trabalhar em grupos. Com os dados, foi possível verificar que estudar em pequenos grupos é, para esse perfil, mais fácil do que estudar em grandes grupos e estudar sozinho tende a ser neutro, ou seja, o professor, ao permanecer no último formato, desperdiçará o potencial do trabalho em grupo. Estudar em dupla, para eles, é fácil, porém o formato apropriado, na perspectiva de formação colaborativa, tende a ser de trios ou quartetos, pois ao mesmo tempo que configura como formato de grupo, com seus desafios, também retira os alunos da zona de conforto. Acredita-se que essas informações serão relevantes aos professores e equipes quando se trata da organização dos espaços pedagógicos.


Palavras-chave


Ensino médio. Habilidades sociais. Trabalho em grupo.

Texto completo:

PDF

Referências


"EQUIPE", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa. Disponível em: https://dicionario.priberam.org/equipe. Acessado em: maio 2020.

“EQUIPE”, in Dicionário Michaelis. Disponível em: http://michaelis.uol.com.br/busca?r=0&f=0&t=0&palavra=equipe. Acessado em: maio 2020.

CHAVES, N. M., GALINHA, S. M. G. A., & GONTIJO, S. B. F. (2017). Formação docente e habilidades sociais: contribuições para a formação integral de estudantes universitários. Revista da UIIPS – Unidade de Investigação do Instituto Politécnico de Santarém. Vol. 5, N.º 3, 2017, p. 99-114.

CROUCH, C. H..; MAZUR, E. Peer Instruction: Ten years of experience and results. American Journal of Physics. Cambridge, v69 n9 p970-77 Set. 2001. Disponível em: http://web.mit.edu/jbelcher/www/TEALref/Crouch_Mazur.pdf. Acessado em: 4 set. de 2019.

Disponível em: http://www.repositorio.ufc.br/bitstream/riufc/24629/3/2015_eve_lvribeiro.pdf. Acessado em: Fev. 2020.

Mazur, Eric. Peer instruction: a revolução da aprendizagem ativa [recurso eletrônico] Tradução: Anatólio Laschuk. Porto Alegre. Ed Penso. 2015.

PIANCASTELLI, Carlos Haroldo; FARIA, Horácio Pereira de; SILVEIRA; Marília Rezende da. Grupos em ambientes escolares – equipes – trabalhos em grupos. Texto de Apoio da Unidade Didática I - Seqüência de Atividades I. Disponível em: https://www.colegiosantanna.com.br/formacao/downloads/O%20trabalho%20em%20equipe.pdf. Acessado em: maio 2020.

QUEIROZ, Christina Stephano de. Revista Educação, 2015. Trabalho em grupo traz benefícios para o aprendizado. Disponível em: https://www.revistaeducacao.com.br/trabalho-em-grupo-traz-beneficios-para-o-aprendizado/. Acessado em: 8 Out. 2019.

RIBEIRO, Lucas Vitoriano; et al. A importância do uso do seminário como critério avaliativo e de relevância para o processo de aprendizagem. In: VI Congresso Internacional em Avaliação Educacional. Avaliação: veredas e experiências educacionais. Anais VI. p 789-801. 2015. Fortaleza, CE

SILVEIRA, D. T.; CÓRDOVA, F. P. (2009). A pesquisa científica. In T. E. Gerhardt, & D. T. Silveira (Coord.). Métodos de pesquisa. (Cap. 2). Porto Alegre: UFRGS.

WIERSEMA, N. How does Collaborative Learning actually work in a classroom and how do students react to it? A Brief Reflection. 2002. Disponível em: https://files.eric.ed.gov/fulltext/ED464510.pdf Acessado em: maio 2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 
Atribuição 

CC BY

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Esta licença permite que outros distribuam, remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho, mesmo para fins comerciais, desde que lhe atribuam o devido crédito pela criação original. 

Contato:
Revista Sítio Novo
Kallyana Moraes Carvalho Dominices
Editora-Chefe
Instituto Federal do Tocantins - Reitoria
Avenida Joaquim Teotônio Segurado, Quadra 202 sul, ACSU-SE 20, Conjunto 01, Lote 08 - Plano Diretor Sul
Palmas, Tocantins - Brasil
Cep: 77.020-450
Telefone: 63 3229-2214

e-ISSN: 2594-7036

 

Bases de Dados, Diretórios, Repositórios e/ou Indexadores

 GoogleScholar  BASE - Bielefeld Academich Search EngineResultado de imagem para logo cabi abstracts