Educação ambiental aplicada na reutilização de garrafas PET

Valéria Miguel, Jonierson de Araújo da Cruz

Resumo


Apesar de várias iniciativas do poder púbico nos últimos anos, é fato que grande parte do lixo produzido pela sociedade continua não recebendo o tratamento adequado. Entre os diversos motivos que levam à manutenção desse cenário, destaca-se a falta de conhecimento por parte da maioria da população dos riscos do despejo inadequado de produtos e materiais, sejam eles de origem doméstica ou de origem industrial. Uma alternativa com potencial de contribuir para reverter esse quadro é a inclusão no ambiente escolar de temáticas relacionadas aos problemas ocasionados pelo descarte incorreto do lixo. Consciente dessa realidade, o presente trabalho tem como objetivo apresentar a experiência da aplicação de uma proposta didática focada na reutilização de materiais que acabam causando problemas socioambientais ocasionados pelo descarte inadequado de lixo, em especial de garrafas PET. A proposta foi aplicada com alunos do 9º ano do ensino fundamental II do Colégio Estadual Marechal Costa e Silva, situado no município de Muricilândia–TO. Após uma palestra com foco no descarte correto do lixo e uma exibição do vídeo referente ao projeto Prancha Ecológica, os alunos foram instigados a confeccionar uma prancha flutuante utilizando garrafas PET e materiais de baixo custo e fácil aquisição. Os resultados obtidos revelam a importância da inclusão do ensino de educação ambiental no âmbito escolar, que deve ser inserida desde os primeiros anos das séries iniciais para que seja possível alcançar melhores resultados.


Palavras-chave


Prancha ecológica. Projeto Pedagógico Sustentável. Reutilização de PET.

Texto completo:

PDF

Referências


BAGANHA, Denise Estorilho et al. (org.). Educação ambiental rumo à escola sustentável. Curitiba: SEED: UTP, 2018. 104 p. (Caderno Temático).

BRASIL. Lei nº 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 1999. Disponível em: https://www.mma.gov.br/educacao-ambiental/politica-de-educacao-ambiental/programa-nacional-de-educacao-ambiental. Acesso em: 10 ago. 2019.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Consumo sustentável: Manual de educação. Brasília, DF: Consumers International / MMA / MEC / IDEC, 2005. 160 p.

CARDOSO, Mariana de Moraes et al. Materiais recicláveis. Sorocaba: Unesp Câmpus Sorocaba, 2013. 47 p.

SILVA, J. et al. Reduzir, reutilizar e reciclar: Proposta de Educação Ambiental para o Brejo Paraibano. 2004. Disponível em: https://www.ufmg.br/congrext/Meio/Meio20.pdf. Acesso em: 21 jul. 2019.

WALDMAN, Maurício; SCHNEIDER, Dan Moche. Guia ecológico doméstico. 4. ed. São Paulo: Contexto, 2004. 174 p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 
Atribuição 

CC BY

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Esta licença permite que outros distribuam, remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho, mesmo para fins comerciais, desde que lhe atribuam o devido crédito pela criação original. 

Contato:
Revista Sítio Novo
Kallyana Moraes Carvalho Dominices
Editora-Chefe
Instituto Federal do Tocantins - Reitoria
Avenida Joaquim Teotônio Segurado, Quadra 202 sul, ACSU-SE 20, Conjunto 01, Lote 08 - Plano Diretor Sul
Palmas, Tocantins - Brasil
Cep: 77.020-450
Telefone: 63 3229-2214

e-ISSN: 2594-7036

 

Bases de Dados, Diretórios, Repositórios e/ou Indexadores

 GoogleScholar  BASE - Bielefeld Academich Search EngineResultado de imagem para logo cabi abstracts