O ensino da escrita na Educação Básica: reflexões a partir de produções discentes

Poliana Bernabe Leonardeli, Andrissa dos Santos, Greizine Tamagnoni dos Santos, Vitor Andre de Souza

Resumo


O artigo objetiva analisar textos de alunos da Educação Básica matriculados no ano final do Ensino Fundamental I em uma escola pública estadual. A partir de tal análise buscou-se identificar se os educandos desenvolveram, na escrita, as habilidades previstas para a idade/ano de acordo com o que se prevê na nova BNCC. A pesquisa levantou a seguinte problemática: alunos do quinto ano matriculados em escola pública dominam as técnicas de escrita previstas? E, posteriormente, por que, nessa fase escolar, não possuem ainda as habilidades básicas da escrita de anos escolares anteriores? A hipótese a ser investigada baseou-se no fato de que essas crianças não foram atendidas de forma individualizada em suas produções textuais, uma vez que o desenvolvimento da escrita necessita desse acompanhamento, o que foi comprovado após o resultado da pesquisa apontar deficiências no domínio de habilidades de anos anteriores ao cursado pelos alunos.


Palavras-chave


Aprendizagem. Ensino. Escrita.

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Tradução: Maria Ermantina Galvão G. Pereira. 3.ed. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

BRANDÃO, H. H. N; MICHELETTI, G. Teoria e prática da leitura. São Paulo: Cortez, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa: currículo no ciclo de alfabetização: perspectivas para uma educação do campo: educação do campo: unidade 01. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular Versão final. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2017

EISENSTEIN, Elisabeth L. A Revolução da imprensa no início da Europa moderna. São Paulo: Ática, 1996.

FERREIRO, Emília. Reflexões sobre alfabetização. Tradução: Horácio Gonzalez et al. 24. ed. São Paulo: Cortez, 1995

FREIRE, P. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. 15. ed. São Paulo: Cortez; Autores Associados, 1989.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, 2016. Disponível em: www.ibge.gov.br. Acessado em: 9 mar. 2020.

KLEIMAN, A. B. Preciso “ensinar” letramento? Não basta ensinar ler e escrever? Campinas: CEFIEL, 2005.

LERNER, Delia. Ler e escrever na escola: o real, o possível e o necessário. Porto Alegre: Artmed, 2002.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2014.

OLSON, David R. O mundo no papel. São Paulo: Ática, 1996.

QUEIROZ, Rita. Manuscritos, livros e computador: o progresso cultural da humanidade. Tribuna Feirense, Feira de Santana, 21 nov. 2017. Tribuna Cultural.

SOARES, M. Letramento e alfabetização: as muitas facetas. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n.25, Abr, 2004. Acessado em: 12 abri. 2020. In: https://idonline.emnuvens.com.br/id/article/view/465/608

TEBEROSKY, Ana. O ingresso na escrita. In: PÉREZ, F. C.; GARCÍA, J. R. (org.). Ensinar ou aprender a ler e a escrever? Porto Alegre: Artmed, 2016.

WEISZ, Telma. O diálogo entre o ensino e a aprendizagem. São Paulo: Ática, 2002.

ZUCOLOTO, Karla Aparecida. A compreensão da leitura em crianças com dificuldades de aprendizagem na escrita. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2001.

VYGOTSKY, L. S. Aprendizagem e desenvolvimento intelectual na idade escolar. In: VYGOTSKY, L. S.; LURIA, A. R.; LEONTIEV A. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ícone; Editora da USP, 2018, p.103-118.

UNICEF BRASIL. Índice de Desenvolvimento Infantil, Relatório 2001. In:.www.unicef.brasil.com.br, janeiro de 2015.

ZUMTHOR, Paul. A letra e a voz. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.47236/2594-7036.2020.v4.i4.18-30p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 
Atribuição 

CC BY

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Esta licença permite que outros distribuam, remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho, mesmo para fins comerciais, desde que lhe atribuam o devido crédito pela criação original. 

Contato:
Revista Sítio Novo
Kallyana Moraes Carvalho Dominices
Editora-Chefe
Instituto Federal do Tocantins - Reitoria
Avenida Joaquim Teotônio Segurado, Quadra 202 sul, ACSU-SE 20, Conjunto 01, Lote 08 - Plano Diretor Sul
Palmas, Tocantins - Brasil
Cep: 77.020-450
Telefone: 63 3229-2214

e-ISSN: 2594-7036

 

Bases de Dados, Diretórios, Repositórios e/ou Indexadores

 GoogleScholar  BASE - Bielefeld Academich Search EngineResultado de imagem para logo cabi abstracts Crossref Similarity Check