Antagonismo de Trichoderma spp. no biocontrole de Fusarium moniliforme na cultura do milho

João Carlos Dias Medeiros, Warlyton Silva Martins, Flavia Fernandes Ribeiro de Miranda

Resumo


A monocultura do milho favorece o surgimento de doenças com potencial de causar danos econômicos em lavouras. O fungo do gênero Fusarium ocupa um papel relevante entre as doenças que podem afetar esta cultura, a exemplo da podridão do colmo e raiz. Desse modo, objetivou-se no presente trabalho avaliar a capacidade de espécies de Trichoderma (T. viride, T. harzianum, T. asperellum e T. spp.) como agentes de biocontrole e/ou indução de resistência sobre o fungo Fusarium moniliforme, “in vitro” e “in vivo” em milho. Os ensaios foram desenvolvidos no Laboratório de Fitopatologia e Casa de Vegetação do Centro Universitário Católica do Tocantins - UniCatólica. No ensaio “in vitro” testou-se o antagonismo entre as espécies de Trichoderma e o patógeno F. moniliforme com o teste de confrontação direta do método de cultura pareada em disco de ágar em placas de petri. No teste “in vivo” o delineamento experimental foi inteiramente casualizado do tipo fatorial 3x4X5, consistindo em três formas de aplicação (tratamento de sementes, tratamento de solo e aplicação foliar), quatro espécies de Trichoderma (T. viride, T. harzianum, T. asperellum e T. spp.) com cinco repetições. Os dados foram submetidos à análise de variância a 5% de probabilidade, com teste Tukey para comparação das médias. Observou-se que a estirpe T. viride apresentou-se como expoente ao obter os maiores resultados em ambos os ensaios, inibindo 95% o crescimento do patógeno em meio de cultura. Conclui-se que as espécies de Trichoderma apresentam potencial antagônico contra F. moniliforme.


Palavras-chave


Controle biológico. Fungos fitopatogênicos. Resistência induzida.

Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, J. F. C.; CALADO, J. G. A cultura do milho. Universidade de Évora. Évora, 2014. Disponível em: https://dspace.uevora.pt/rdpc/bitstream/10174/10804/1/Sebenta-milho.pdf. Acesso em: 16 out. 2019.

BENÍTEZ, T. et al. Biocontrol, mechanisms of Trichoderma strains. International Microbiology, v. 7, p. 249-260, 2004.

BOERBOOM, M. L. Plants and seeds of corn variety CV466191. U.S. Patent n. 10, 143, 158, 4 dez. 2018.

CARVALHO, D. D. C. et al. Controle de Fusarium oxysporum f.sp. phaseoli in vitro e em sementes, e promoção do crescimento inicial do feijoeiro comum por Trichoderma harzianum. Tropical Plant Pathology 36 (1) January – February 2011.

CARVALHO, D. D. C. et al. Biological control of Fusarium wilt on common beans by in-furrow application of Trichoderma harzianum. Tropical Plant Pathology, v. 40, n. 6, p. 375-381, 2015.

CHET, I. et al. Mycoparasitism and lytic enzimes. London, p. 153-172, 1998.

CONAB – Companhia Nacional de Abastecimento. Boletim do quarto levantamento de grãos SAFRA 2017/2018 para o Estado do Tocantins. 2017. Disponível em: http://www.conab.gov.br/OlalaCMS/uploads/arquivos/18_01_12_11_18_38_boletim_4o_levantamento_da_safra_de_graos_2017-2018_- _Tocantins-dezembro - 2017. Acesso em: 18 ago. 2019.

CONAB. Companhia Nacional de Abastecimento. Acompanhamento da safra brasileira de grãos. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. v. 1 - Safra 2015/16, n. 7. Sétimo levantamento, Brasília, 158 p., abr. 2016.

DA SILVA, A. N. et al. Efecto de los productos químicos y de Trichoderma spp. En control del fusarium solani de la fruta de pasión. Interciencia, v. 39, n. 6, p. 398-403, 2014.

DENNIS, C.; WEBSTER, J. Antagonistic properties of species – groups of Trichoderma. Transactions of the British Mycological Society, v. 57, p. 25-39, 1971.

DURIGON, M. R. Fatores de produção de milho em função da adubação orgânica e de Trichoderma spp. Santa Maria, 2012. 84 p. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Santa Maria.

GWA, V. I.; NWANKITI, A. O. In vitro antagonistic potential of Trichoderma harzianum for biological control of Fusarium moniliforme isolated from Dioscorea rotundata tubers. Virol mycol, v. 6, n. 2, p. 2-8, 2017.

HARMAN, G. E. Overiew of mechanisms and uses of Trichoderma ssp. Phitopathology, Lancaster, v. 96, p. 190-194, 2006.

HARMAN, G. E. et al. Interactions between Trichoderma harzianum strain T22 and maize inbred line Mo17 and effects to these interactions on diseases cause by Pythium ultimum and Colletotrichum graminicola. Phitopathology, Lancaster, v. 34, p. 147-153, 2004.

HUNGRIA, M. et al. O. Inoculation with selected strains of Azospirillum brasilense and A. lipoferum improves yields of maize and wheat in Brazil. Plant Soil, v. 331, p. 413-425, 2010.

JUNIOR, A. F. C. et al. Ação de Trichoderma spp. no controle de Fusarium sp., Rhizoctonia solani e Sclerotium rolfsii. Agri-environmental sciences, v. 4, n. 2, p. 9-15, 2018.

KAPPES, C.; SILVA, RG da; FERREIRA, V. E. N. Aplicação foliar de Azospirillum brasilense e doses de nitrogênio em cobertura no milho safrinha. Scientia Agraria Paranaensis, v. 16, n. 3, p. 366-373, 2017.

LANUBILE, A. et al. Molecular basis of resistance to Fusarium ear rot in maize. Frontiers in plant science, v. 8, p. 1774, 2017.

MACHADO, R. S. S. Efeito de Trichoderma viride associado a sementes de milho (Zea mays L.) sobre microrganismos fitopatogênicos. 1999. 47 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 1999.

MACIEL, C. G. et al. Antagonismo de Trichoderma spp. e Bacillus subtilis (UFV3918) a Fusarium sambucinum em Pinus elliottii Engelm. Revista árvore, v. 38, n. 3, p. 505-512, 2014.

MASCHIETTO, V. et al. QTL mapping and candidate genes for resistance to Fusarium ear rot and fumonisin contamination in maize. BMC plant biology, v. 17, n. 1, p. 20, 2017.

MELO, I. S. Trichoderma e gliocadium como bioprotetores de plantas. In: LUZ, W. C. Revisão Anual de Patologia em Plantas, Passo Fundo, v. 4, p. 261-295, 1996.

MILANESI, P. M. et al. Biocontrole de Fusarium spp. com Trichoderma spp. e promoção de crescimento em plântulas de soja. Rev. de Ciências Agrárias, Lisboa, v. 36, n. 3, p. 347 356, jul. 2013.

MOOSA, A. et al. Antagonistic potential of Trichoderma isolates and manures against Fusarium wilt of tomato. International journal of vegetable science, v. 23, n. 3, p. 207-218, 2017.

NASCIMENTO, C. E. S. Efeito do ácido indol-butírico no enraizamento de estacas semi-lenhosas de acerola. Revista Brasileira de Fruticultura, Cruz das Almas, v.13, n.3, p. 255-257, 1992.

NASHWA, M. A. et al. Evaluation of Trichoderma species as biocontrole agents for damping-off and wilt diseases of Phaseolus vulgaris L. and efficacy of suggested formula. Egyptian Journal Phytopathology, Assiut, v. 36, p. 81-93, 2008.

OLDENBURG, E. et al. Fusarium diseases of maize associated with mycotoxin contamination of agricultural products intended to be used for food andfeed. Mycotoxin research, v. 33, n. 3, p. 167-182, 2017.

PANDOLFO, J. D. Associação de Trichoderma sp. e fungicidas no controle de Fusarium oxysporum f. sp. phaseoli. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2007.

PAPAVIZAS, G.C. Trichoderma and Gliocladium: biology, ecology, and potencial for biocontrol. Annual Review of Phytopathology, vol.23, p. 23-54. 1985.

PATEL, S.; SARAF, M. Biocontrol efficacy of Trichoderma asperellum MSST against tomato wilting by Fusarium oxysporum f. sp. lycopersici. Archives of Phytopathology and Plant Protection, v. 50, n. 5-6, p. 228-238, 2017.

PATOLE, S. P. et al. In vitro evaluation of Trichoderma viride and Trichoderma harzianum against Fusarium wilt of Chickpea. Int J Pure Appl Biosci, v. 5, n. 5, p. 460-464, 2017.

PODDAR, R. K.; SINGH, D. V.; DUBEY, S. C. Integrated application of Trichoderma harzianum mutants and carbendazim to manage chickpea wilt (Fusarium oxysporum f.sp. ciceri). Indian Journal of Agricultural Sciences, New Delhi, v. 74, p. 346–348, 2004.

SARAVANAKUMAR, K. et al. Effect of Trichoderma harzianum on maize rhizosphere microbiome and biocontrol of Fusarium Stalk rot. Scientific reports, v. 7, n. 1, p. 1-13, 2017.

SCUDELER, F.; VENEGAS, F. Trichoderma harzianum associado ou não a fungicidas em tratamento de sementes na cultura do milho (Zea mays L.). Ensaios e Ciência: Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde, v. 16, n. 5, p. 9-19. 2012.

SHAN, L. Y. et al. First report of Fusarium brachygibbosum causing maize stalk rot in China. Plant Disease, v. 101, n. 5, p. 837, 2017.

USDA. Unidet States Department of Agriculture. World Agricultural Supply and Demand Estimates. [S. l.]: WASDE, 2017. 40 p.

VAZ, A. B. et al. Antagonismo in vitro de Trichoderma spp. a Fusarium solani, agente causal da podridão do colo e raízes do maracujazeiro. X CONPEX – Congresso de Pesquisa e Extensão / XI seminário de iniciação cientifica. Vitória da Conquista - BA, 2007.

VENTUROSO, L. R. Implicações da inoculação de Sclerotinia sclerotiorum em culturas energéticas. Dourados: Universidade Federal da Grande Dourados, 2012.

WEEDEN, C. R.; SHELTON, A. M.; HOFFMAN. Biological control: A guide to natural enemies in North America. 2008. Disponível em: http://.Nysaes. Cornell.edu/ent/biocontrole. Acesso em: 20 out. 2019.




DOI: http://dx.doi.org/10.47236/2594-7036.2020.v4.i4.169-178p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 
Atribuição 

CC BY

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Esta licença permite que outros distribuam, remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho, mesmo para fins comerciais, desde que lhe atribuam o devido crédito pela criação original. 

Contato:
Revista Sítio Novo
Kallyana Moraes Carvalho Dominices
Editora-Chefe
Instituto Federal do Tocantins - Reitoria
Avenida Joaquim Teotônio Segurado, Quadra 202 sul, ACSU-SE 20, Conjunto 01, Lote 08 - Plano Diretor Sul
Palmas, Tocantins - Brasil
Cep: 77.020-450
Telefone: 63 3229-2214

e-ISSN: 2594-7036

 

Bases de Dados, Diretórios, Repositórios e/ou Indexadores

 GoogleScholar  BASE - Bielefeld Academich Search EngineResultado de imagem para logo cabi abstracts Crossref Similarity Check