Educação de jovens e adultos: perfil do alunado e a formação dos professores de inglês

Agnaldo Pedro Santos Filho, Leda Regina de Jesus Couto

Resumo


A Educação de Jovens e Adultos (EJA) é garantida como direito pela Constituição Federal do Brasil desde o ano de 1988, conquanto, as políticas públicas para essa modalidade de ensino ainda são insuficientes e a EJA assume um caráter de ensino compensatório e excludente. Neste artigo, objetiva-se discutir o perfil desses jovens e adultos, bem como a formação de educadores na área de língua inglesa para uma EJA que busque a garantia aos direitos políticos, sociais, culturais, de trabalho e de cidadania. A metodologia utilizada para este estudo foi a pesquisa bibliográfica, que buscou, junto aos professores e pesquisadores da EJA e formação de professores, fazer uma discussão do tema em questão. Conclui-se que, de forma dialógica, crítica e interculturalmente comunicativa, educadores e educandos devem construir juntos uma aprendizagem que possibilite o uso da língua inglesa em um contexto real de comunicação.


Palavras-chave


Educação de jovens e adultos. Ensino de língua inglesa. Formação de professores.

Texto completo:

PDF

Referências


AMORIM, Antônio; PEREIRA, Marcos; SANTOS, Juliana. Os sujeitos estudantes da EJA: um olhar para as diversidades. Revista Internacional de Educação de Jovens e Adultos, jan./jun. 2018, v. 01, n. 01, p. 122-135. Disponível em: . Acesso em: 6 jun. 2019.

ARROYO, Miguel González. Educação de jovens-adultos: um campo de direitos e de responsabilidade pública. In: SOARES, Leôncio; GIOVANETTI, Maria Amélia G. C.; GOMES, Nilma Lino (orgs.). Diálogos na educação de jovens e adultos. Belo Horizonte: Autêntica, p. 19- 50, 2005.

ARROYO, Miguel González. Formar educadoras e educadores de jovens e adultos. In: Soares, L. (org.) Formação de educadores de jovens e adultos. Belo Horizonte: Autêntica, SECAD-MEC/UNESCO, p. 17 - 38, 2006.

ARROYO, Miguel González. Passageiros da noite: do trabalho para a EJA, itinerários pelo direito a uma vida justa. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.

BRASIL. Lei Federal nº 9.394. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, Brasil, 1996.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio, parte II. Brasília, MEC/SEB, 2000.

BRASIL. Orientações Educacionais Complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN+). Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. Brasília: MEC, 2006.

BRASIL. Proposta Curricular para a educação de jovens e adultos: segundo segmento do ensino fundamental. Brasília: Secretaria de Educação Fundamental, 2002.

CARVALHO, Jair Antonio et al. Andragogia: considerações sobre a aprendizagem do adulto. http://www.scielo.br/pdf/es/v26n92/v26n92a18. Ensino, Saúde e Ambiente, 2010, v.3 n.1. Disponível em: http://periodicos.uff.br/ensinosaudeambiente/article/view/21105. Acesso em: 30 jul. 2019.

CEZARINO, Karla Ribeiro; CURRIE, Karen Lois; OLIVEIRA, Edna Castro. Formação inicial e continuada de professores de inglês em uma perspectiva includente: entrelaçando histórias, vidas e experiências. Revista Brasileira de Educação de Jovens e Adultos, 2019, 6, 151-169. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/educajovenseadultos. Acesso em: 31 jul. 2019.

CORBETT, John. An Intercultural Approach to English Language Teaching. Clevendon: Multilingual Matters, 2003.

COSTA, Cláudia Borges; MACHADO, Maria Margarida. Políticas públicas e Educação de Jovens e Adultos no Brasil. São Paulo: Cortez, 2017.

DI PIERRO, Maria Clara. Notas sobre a redefinição da identidade e das políticas públicas de educação de jovens e adultos no Brasil. Educação & Sociedade, 2005, v.26 n.92, 1115-1139. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v26n92/v26n92a18. Acesso em: 10 jun. 2019.

FREIRE, Paulo. (1996). Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 50. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

HADDAD, Sérgio; DI PIERRO, Maria Clara. Escolarização de jovens e adultos. Revista Brasileira de Educação, 14, 108-130, 2000.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução Tomaz Tadeu da Silva e Guacira Lopes Louro. 11ª Ed. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2006.

HENRIQUES, Ricardo; DEFOURNY, Vincent. Prefácio. In: SOARES, Leôncio. (org.) Formação de educadores de jovens e adultos. Belo Horizonte: Autêntica, SECAD-MEC/UNESCO, 2006.

IBGE. Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios (PNAD), 2018. Disponível em https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101657_informativo.pdf>. Acesso

em: 28 nov. 219.

JORDÃO, Clarissa Menezes. O ensino de línguas estrangeiras: de código a discurso. IN: VAZ BONI, Valéria. Tendências Contemporâneas no Ensino de Línguas. União da Vitória: Kaygangue, 2006. Disponível em: https://docs.ufpr.br/~marizalmeida/celem2_06/o_ensino_de_lem.pdf . Acesso em: 25 ago. 2019.

KNOWLES, Malcolm. The Adult Learner: the definitive classic in adult education and human resource development. 6th ed. San Diego, California: Elsevier, 2005.

LAFFIN, Maria Hermínia Fernandes; VIGANO, Samira de Moraes. A Educação de Jovens e Adultos como espaço de empoderamento das mulheres. Revista EJA em debate, 2016 p. 1-19. a.5 v.7. Disponível em: https://periodicos.ifsc.edu.br/index.php/EJA/article/view/2105/1. Acesso em: 3 ago. 2019.

LINDEMAN, Eduard. The meaning of adult education. New York: New Republic, University of Nottingham: Nottingham, 1926.

MACHADO, Margarida. A educação de jovens e adultos: após vinte anos da lei 9.394, de 1996. Revista Retratos da Escola, Brasília, 2016, p. 429-451. Disponível em: http://retratosdaescola.emnuvens.com.br/rde/article/view/687. Acesso em: 31 jul. 2019.

OLIVEIRA, Luciano Amaral. O ensino de língua estrangeira para jovens e adultos na

escola pública. In LIMA, Diógenes Cândido de (org). Ensino e aprendizagem de

língua inglesa: conversas com especialistas. São Paulo: Parábola Editorial, p. 21 - 30, 2010.

OLIVEIRA, Rita de Cássia; SCORTEGAGNA, Paola Andressa. As políticas públicas e o trabalho docente na EJA: uma reflexão necessária. In: XI Jornada do HISTEDBR, 11., 2013. Cascavel. Anais da XI Jornada do HISTEDBR. Cascavel: UNIOESTE, 2013. p. 1-15. Disponível em: http://www.histedbr.fe.unicamp.br/acer_histedbr/jornada/jornada11/artigos/2/simposio2.html. Acesso em: 25 ago. 2019.

PASSOS, Joana Célia. As desigualdades na escolarização da população negra e a educação de jovens e adultos. EJA em debate, 2012 v.1 n.1, 137. Disponível em: https://periodicos.ifsc.edu.br/index.php/EJA/article/view/998. Acesso em: 2 maio 2019.

PENNYCOOK, Alastair. The cultural politics of English as an international language. London: Longman, 1994.

PERES, Marcos Augusto de Castro. Velhice e analfabetismo, uma relação paradoxal: a exclusão educacional em contextos rurais da região Nordeste. Soc. estado., Brasília, 2011, v.26, n. 3, p.631-662. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69922011000300011&lng=en&nrm=iso . Acesso em: 20 jul. 2019.

PINTO, Álvaro Vieira. Sete lições sobre educação de adultos. São Paulo: Autores Associados, Cortez Editora, 1982.

SILVA, Aracy Lopes. A educação de adultos e os povos indígenas no Brasil. Em Aberto, 2008, v.20 n.76, p.88-129. Disponível em: http://www.rbep.inep.gov.br/index.php/emaberto/article/viewFile/2186/2155. Acesso em: 31 jul. 2019.

SOUZA, Cláudia Moraes. Discursos intolerantes: o lugar da política na educação rural e a representação do camponês analfabeto. Histórica–Revista On-Line do Arquivo do Estado de São Paulo, 2010. Disponível em: http://diversitas.fflch.usp.br/node/2412. Acesso em: 20 jul. 2019.

STRELHOW, Thyeles Borcarte. Breve história sobre a educação de jovens e adultos no Brasil. Revista HISTEDBR on-line, 10(38), 49-59, 2010. Disponível em: http://www.histedbr.fe.unicamp.br/revista/edicoes/38/art05_38.pdf . Acesso em: 14 abr. 2020

VENTURA, Jaqueline. A EJA e os desafios da formação docente nas licenciaturas. Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade. Salvador, 2012 v. 21, p.71-82. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/viewFile/458/398. Acesso em 10 maio 2019.




DOI: http://dx.doi.org/10.47236/2594-7036.2020.v4.i4.300-310p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 
Atribuição 

CC BY

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Esta licença permite que outros distribuam, remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho, mesmo para fins comerciais, desde que lhe atribuam o devido crédito pela criação original. 

Contato:
Revista Sítio Novo
Kallyana Moraes Carvalho Dominices
Editora-Chefe
Instituto Federal do Tocantins - Reitoria
Avenida Joaquim Teotônio Segurado, Quadra 202 sul, ACSU-SE 20, Conjunto 01, Lote 08 - Plano Diretor Sul
Palmas, Tocantins - Brasil
Cep: 77.020-450
Telefone: 63 3229-2214

e-ISSN: 2594-7036

 

Bases de Dados, Diretórios, Repositórios e/ou Indexadores

 GoogleScholar  BASE - Bielefeld Academich Search EngineResultado de imagem para logo cabi abstracts Crossref Similarity Check