Construção de planisfério tátil adaptado e cartas táteis de constelações para pessoas com deficiência visual

Rose Nunes, Carlos Maximiliano Dutra

Resumo


A educação brasileira tem como proposta uma escola inclusiva que visa promover acesso e permanência a todos. No entanto, sobretudo na área de Ciências, existe uma carência de uso de estratégias pedagógicas e desenvolvimento de materiais adaptados para os alunos com deficiência, em particular para pessoas com deficiência visual. No presente trabalho, propomos a construção de um planisfério tátil adaptado e de cartas táteis de constelações para que o estudo do movimento das estrelas no céu possa ser desenvolvido com o aluno com deficiência visual, de forma similar aos alunos videntes, tendo como modelo o planisfério da Olímpiada Brasileira de Astronomia e Astronáutica. Os materiais a serem utilizados e a ampliação necessária para a confecção do planisfério tátil foram definidos com o auxílio de um aluno com deficiência visual. Após construído o planisfério e as cartas táteis das constelações zodiacais, a atividade de determinação de hora, dia e mês de nascimento e de ocaso da constelação de capricórnio foi desenvolvida junto ao aluno com deficiência visual, na qual o sujeito pôde experimentar a mesma atividade prática realizada pelos alunos videntes. O desenvolvimento de materiais táteis adaptados para alunos com deficiência visual que permitam o entendimento prático de conhecimentos teóricos relacionados a Ciências, em particular a Astronomia, é fundamental para a promoção de uma aprendizagem inclusiva mais efetiva.

Palavras-chave


Constelações. Deficiência visual. Material adaptado. Planisfério tátil.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

BRASIL. Lei nº 4.024, de 20 de dezembro de 1961. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União: Seção 1, Brasília, DF, p.11429, 27 dez. 1961.

BRASIL. Lei nº5.692, de 11 de agosto de 1971. Fixa Diretrizes e Bases para o ensino de 1º e 2º graus, e dá outras providências. Diário Oficial da União: Seção 1, Brasília, DF, p. 6377, 12 ago. 1971.

BRASIL. Lei n.º 9.394, de 20 de dezembro de 1996, Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União: Brasília, DF, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LE IS/l9394.htm. Acesso em: 12 jul. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular – A Etapa do Ensino Fundamental: A área de Ciências da Natureza: Ciências. Brasília, DF: MEC, 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Política Nacional de Educação Especial na perspectiva inclusiva. Brasília: MEC/SEESP, 2008.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial. MEC: Brasília, 1994.

BRASIL. Projeto escola viva: garantindo o acesso e permanência de todos os alunos na escola. Brasília: MEC/SEE, 2000.

DALLABONA, K. G. Inclusão de Deficientes Visuais no Curso Superior na Educação a Distância. Anais do XVII Congresso da Associação Brasileira de Educação a Distância, 2011, Indaial, SC. Disponível em: http://www.abed.org.br/congresso2011/cd/66.pdf. Acesso em: 12 jul.2020.

FUNDAÇÃO DORINA NOWILL PARA CEGOS. Deficiência visual. Disponível em: http:fundacaodorina.org.br/deficiencia-visual. Acesso em: 04 nov. 2019.

GIL, M. (Coord.) Educação inclusiva: o que o professor tem a ver com isso? São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo: Ashoka Brasil, 2005.

HADDAD, M.A.O.; SAMPAIO, M.W. Aspectos globais da deficiência visual. In: SAMPAIO, M.W. et al. (Ed.). Baixa visão e cegueira: os caminhos para a reabilitação, a educação e a inclusão. Rio de Janeiro: Cultura Médica: Guanabara Koogan, 2010.

IBGE. Pesquisa Nacional de Saúde 2013: Ciclos de vida: Brasil e grandes regiões. Rio de Janeiro: IBGE, 2015.

LANGHI, R. NARDI, R. Educação em Astronomia: repensando a formação de professores. São Paulo: Escrituras Editora, 2012.

MASINI, E. F. S. Perceber: raiz do conhecimento. 1. ed. São Paulo: Vetor Editora, 2012.

NEPOMUCENO, T.A.R.; ZANDER, L.D. Uma análise dos recursos didáticos táteis adaptados ao ensino de ciências a alunos com deficiência visual inseridos no ensino fundamental. Revista Benjamin Constant, Rio de Janeiro: IBC, n. 58, v. 1, p.49-63, 2015.

OLIVEIRA, F. I. W.; BIZ, V. A.; FREIRE, M. Processo de inclusão de alunos deficientes visuais na rede regular de ensino: confecção e utilização de recursos didáticos adaptados. Núcleo de Ensino/PROGRAD, Faculdade de Filosofia e Ciências, p.445-454. Marília: UNESP, 2003. Disponível em: file:///C:/Users/HPG42/Downloads/Processo%20de%20inclusao%20de%20alunos%20deficientes%20visuais%20(2).pdf. Acesso em: 12 jul. 2020.

PILETTI, C. Didática geral. 23. ed. São Paulo: Ática, 2004.

SÁ, E.D. Atendimento Educacional Especializado para alunos cegos e com baixa visão. In: SILUK, A.C.P. Formação de professores para o Atendimento Educacional Especializado. Santa Maria: Universidade Federal de Santa Maria, 2011. p. 177-208.

SOUZA, S. E; DALCOLLE G. A. V. G. O Uso de Recursos Didáticos no Ensino Escolar. Revista UNAM, Maringá-PR, v. 11, p.110-114, 2007.

UNESCO. Declaração de Salamanca. Sobre Princípios, Políticas e Práticas na Área das Necessidades Educativas Especiais. 1994. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/salamanca.pdf. Acesso em: 04 nov. 2020.




DOI: http://dx.doi.org/10.47236/2594-7036.2021.v5.i2.13-25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 
Atribuição 

CC BY

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Esta licença permite que outros distribuam, remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho, mesmo para fins comerciais, desde que lhe atribuam o devido crédito pela criação original. 

Contato:
Revista Sítio Novo
Kallyana Moraes Carvalho Dominices
Editora-Chefe
Instituto Federal do Tocantins - Reitoria
Avenida Joaquim Teotônio Segurado, Quadra 202 sul, ACSU-SE 20, Conjunto 01, Lote 08 - Plano Diretor Sul
Palmas, Tocantins - Brasil
Cep: 77.020-450
Telefone: 63 3229-2214

e-ISSN: 2594-7036

 

Bases de Dados, Diretórios, Repositórios e/ou Indexadores

 GoogleScholar  BASE - Bielefeld Academich Search EngineResultado de imagem para logo cabi abstracts Latindex – Interciencia PortuguêsSubmissões


Utilizamos o seguinte software de detectação de similaridade:

Crossref Similarity Check