Educação Ambiental na visão dos concluintes da Licenciatura em Biologia da Educação a Distância de um dos polos da Universidade Federal do Tocantins/Universidade Aberta do Brasil

André de Oliveira Moura Brasil, Cleonice de Oliveira Ramos, Katiane da Silva Santos

Resumo


A Educação Ambiental (EA) é necessária para sensibilizar e ajudar a desenvolver o pensamento crítico dos cidadãos quanto aos problemas socioambientais, de modo que possibilite às pessoas realizar ações dentro e fora dos espaços escolares, de forma individual e coletiva, para a preservação e conservação dos recursos naturais. Objetivou-se com essa pesquisa analisar os conhecimentos e vivências sobre Educação Ambiental na graduação e nas práticas de estágios supervisionados dos concluintes da Licenciatura em Biologia da Educação a Distância (EaD) de um dos polos de apoio presencial da Universidade Federal do Tocantins (UFT) / Universidade Aberta do Brasil (UAB). Esta pesquisa é de abordagem qualitativa e descritiva, realizada com 10 participantes. A coleta dos dados foi realizada com a aplicação de um questionário via Google Forms contendo 14 questões, sendo elas objetivas e subjetivas. Os resultados reportaram que: a EaD contribui para a democratização do acesso ao ensino superior no Tocantins; a conceituação de EA pelos concluintes ainda se mostrou superficial; houve baixa participação dos concluintes em eventos de EA durante a graduação; a EA aconteceu predominantemente de forma disciplinar na graduação com a disciplina do 8º período Processos Emergentes e Biodiversidade: Problemas Ambientais e Educação Ambiental e nos estágios, nas disciplinas de Ciências e Biologia; os concluintes vivenciaram a aplicação de uma variedade de recursos e metodologias no ensino da EA; foram utilizados poucos ambientes não formais de aprendizagem no ensino de EA; há a necessidade de estimular a produção dos próprios recursos didáticos por meio da reutilização de resíduos.


Palavras-chave


Acadêmicos. Cidadãos. Ensino. Estágios. Problemas socioambientais.

Texto completo:

PDF

Referências


AUBERT, A. et al. Aprendizagem dialógica na sociedade da informação. São Carlos: EdUFSCar, 2018.

BIASIBETTI, L. et. al. A concepção dos educadores sobre a temática de educação ambiental na escola: dificuldades e desafios. Revista Monografias Ambientais, Santa Maria, v. 14, n. 2, p. 220-237, maio/ago. 2015.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988, 292 p.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei número 9394, 20 de dezembro de 1996.

BRASIL. Lei Federal 9.795, de 27 de abril de 1999. Política Nacional de Educação Ambiental.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Ambiental, 2012.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Meio ambiente e saúde. 58 p. 1997.

CERVO, A. L.; BERVIAN, P. A.; SILVA, R. Metodologia Científica. 6. ed. São Paulo: Pearson, 2007.

GASTAL, M. L. A.; AVANZI, M. R. Saber da experiência e narrativas autobiográficas na formação inicial de professores de biologia. Ciência & Educação, Bauru, v. 21, n. 1, p. 149-158, jan./mar. 2015.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2019.

GUILHERME, L. S. et. al. O Ensino de Biologia e da Educação Ambiental: percepção de alunos do Ensino Médio do município de Patos, Paraíba. Educação Ambiental em Ação, Novo Hamburgo, v. 17, n. 65, p. 1-13, set./nov. 2018.

GUIMARÃES, S. S. M.; INFORSATO, E. C. A percepção do professor de Biologia e a sua formação: a Educação Ambiental em questão. Ciência & Educação, Bauru, v. 18, n. 3, p. 737-754, jan. 2012.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Metodologia científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2017.

LAYRARGUES, P. P.; LIMA, G. F. C. As macrotendências político-pedagógicas da Educação Ambiental brasileira. Ambiente & sociedade, São Paulo, v. 17, n. 1, p. 23-40, mar. 2014.

MACHADO, A. C.; TERÁN, A. F. Educação Ambiental: desafios e possibilidades no Ensino Fundamental I nas escolas públicas. Revista Educação Ambiental em Ação, Novo Hamburgo, v. 17, n. 66, p. 1-14, dez. 2018.

MARVILA, N. C.; GUISSO, L. F. Educação Ambiental e o processo de interdisciplinaridade no ambiente escolar. Revista Brasileira de Educação Ambiental (RevBEA), São Paulo, v. 14, n. 4, p. 340-350, dez. 2019.

MENEZES, I. S. et. al. Jogo didático como ferramenta para Educação Ambiental no município de Itapetinga (BA). Revista Brasileira de Educação Ambiental (RevBEA), São Paulo, v. 11, n. 5, p. 19-29, dez. 2017.

MIGUEL, V.; CRUZ, J. A. Educação ambiental aplicada na reutilização de garrafas PET. Revista Sítio Novo, Palmas, v. 4, n. 3, p. 265-273, jul./set. 2020.

MONTEIRO, R. A. A. Criar uma disciplina de Educação Ambiental na Educação Básica é uma boa ideia? In: LAMIM-GUEDES, V.; MONTEIRO, R. A. A. (org.). Educação Ambiental na Educação Básica: entre a disciplinarização e a transversalidade da temática socioambiental. 2. ed. Revista e ampliada. São Paulo: Editora Na Raiz, 2019, p. 44-49.

MOORE, M; KEARSLEY, G. Educação a Distância. Uma visão integrada. São Paulo: Thomson Learning, 2007.

POMPERMAYER, E. F.; COSTA, R. S. S.; SCARELI-SANTOS, C. Educação Ambiental no Brasil: evolução e novos desafios. Revista Jurídica UNIGRAN, Dourados, v. 18, n. 36, p. 121-138, jul./dez.2016.

SANTOS, A. S.; SOUZA, G. S.; DIAS, V. B. A inserção da Educação Ambiental no currículo escolar na rede pública de ensino do município de Cruz das Almas - BA. Revista Educação Ambiental em Ação, Novo Hamburgo, v. 16, n. 60, p. 1-13, jun./ago. 2017.

SANTOS, S. D. F.; MCCOY, C. S. O.; SILVA, R. M. Sistema Universidade Aberta do Brasil: uma análise sobre sua importância para o ensino superior em cidades do interior. Facit Business and Technology Journal, Araguaína, v. 1, n. 17, p. 76-84, jun. 2020.

SANTOS, K. S. et. al. A Educação Ambiental na disciplina de Geografia do

Ensino Fundamental a partir do Documento Curricular do Tocantins. In: Ferreira, G. H. C. (org.) Ensino de Geografia e a Formação de Professores. 1. ed. Ponta Grossa, PR: Atena, 2020, p. 128-130.




DOI: http://dx.doi.org/10.47236/2594-7036.2021.v5.i3.114-123p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 
Atribuição 

CC BY

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Esta licença permite que outros distribuam, remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho, mesmo para fins comerciais, desde que lhe atribuam o devido crédito pela criação original. 

Contato:
Revista Sítio Novo
Kallyana Moraes Carvalho Dominices
Editora-Chefe
Instituto Federal do Tocantins - Reitoria
Avenida Joaquim Teotônio Segurado, Quadra 202 sul, ACSU-SE 20, Conjunto 01, Lote 08 - Plano Diretor Sul
Palmas, Tocantins - Brasil
Cep: 77.020-450
Telefone: 63 3229-2214

e-ISSN: 2594-7036

 

Bases de Dados, Diretórios, Repositórios e/ou Indexadores

 GoogleScholar  BASE - Bielefeld Academich Search EngineResultado de imagem para logo cabi abstracts Latindex – Interciencia PortuguêsSubmissões


Utilizamos o seguinte software de detectação de similaridade:

Crossref Similarity Check