Atitudes de graduandos sobre a BNCC, importância da química e os futuros enfrentamentos educacionais

Lidianne Salvatierra

Resumo


A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é um importante documento de referência para os currículos escolares e que sugere mudanças no processo de ensino-aprendizagem. Dessa forma, o presente trabalho buscou identificar: a) o conhecimento de graduandos de um Curso de Licenciatura em Química sobre a BNCC; b) as suas atitudes pessoais sobre a importância da Química; c) as crenças sobre o conhecimento geral da comunidade leiga sobre Química; e d) os enfrentamentos educacionais esperados por esses futuros profissionais. O método usado para coleta de dados foi a aplicação de questionários com perguntas fechadas e abertas, e a análise e discussão foi realizada a partir do método de análise de conteúdo. Como resultado pode-se verificar: a) o pouco conhecimento sobre a BNCC e a ausência de discussões no ambiente universitário sobre o tema; b) atitudes pessoais positivas sobre Química; c) atitudes negativas sobre o conhecimento da comunidade leiga sobre Química; e d) atitude negativas quanto às expectativas para os futuros enfretamentos profissionais. Assim, concluiu-se que os graduandos possuem importante conhecimento acerca da percepção da comunidade em geral sobre a Química e também que conseguem identificar as mudanças necessárias no ensino desta ciência.  Tais mudanças são tratadas no texto da BNCC, porém o documento não é familiar aos alunos, o que indica a necessidade de proporcionar mais espaço para as discussões das políticas educacionais durante a formação inicial de professores.

Palavras-chave


Atitudes. BNCC. Ensino. Letramento científico. Licenciatura.

Texto completo:

PDF

Referências


ANTOS, A. P. As concepções de professores de Química das escolas centros de excelência de Aracaju/SE sobre ciência, tecnologia e sociedade. Revista de Ensino de Ciências e Matemática (REnCiMa), v. 9, p. 58-77, 2018.

BARROSO, M. C. da S., et al. Cummon National Curriculum Base and transformations in the field of natural sciences and tecnologies. Research, Society and Development, 9(2), e164921985, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.33448/rsd-v9i2.1985. Acesso em: 05 fev. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Base nacional Comum Curricular. Proposta Preliminar. Segunda Versão – Revista. Brasília, DF: Secretaria da Educação Básica, 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular – A Etapa do Ensino Fundamental: A área de Ciências da Natureza: Ciências. Brasília, DF: MEC, 2017.

BRITO, M. R. F. Um estudo sobre as atitudes em relação à Matemática em estudantes de 1º e 2º graus. 1996. Tese (Livre Docência em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 1996.

BRITO, L. O.; FIREMAN, E. C. Ensino de ciências por investigação: uma estratégia pedagógica para a promoção da alfabetização científica nos primeiros anos do ensino fundamental. Revista Ensaio Pesquisa em Ciências, v. 18, n. 1, p. 123-46, 2016. doi:10.1590/1983-21172016180107.

CARRARO, P. R. Crenças e representações dos professores sobre o construtivismo, os parâmetros curriculares nacionais (PCN) e as inovações pedagógicas no contexto das diretrizes propostas para o ensino fundamental a partir da nova LDB. 2003. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto, Universidade Estadual de São Paulo, São Paulo, 2003.

COSTA, H. H. C.; LOPES, A. C. A contextualização do conhecimento no ensino médio: tentativas de controle do outro. Educação & Sociedade, Campinas, v. 39, n. 143, p. 301-320, abr./jun. 2018. Disponível em: https://doi.org/10.1590/ES0101-73302018184558. Acesso em: 23 jan. 2020.

DIAS, S. F. A. Estudo da construção e utilização em sala de aula do currículo de química do Estado de São Paulo. 2014. Tese (Doutorado em Ensino de Ciências), Universidade Cruzeiro do Sul, Acre, 2014.

FERREIRA, H. S. As lutas na educação física escolar. Revista de Educação Física, v.135, p. 36-44, nov. 2006.

MEIRELES, M. A. C.; FERNANDES, C. C. P.; SILVA, L. S. E. Novas Diretrizes Curriculares Nacionais e a Formação Médica: Expectativas dos Discentes do Primeiro Ano do Curso de Medicina de uma Instituição de Ensino Superior. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 43, n. 2, p. 67-78, abr.-jun. 2019.

MENGHINI, F. B. As trilhas interpretativas como recurso pedagógico. 2005. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade do Vale do Itajaí, Santa Catarina, 2005.

MONFREDINI, I. Trabalho, profissão docente e o problema do conhecimento na formação incicial de professores. EccoS – Revista Científica, São Paulo, v. 11, n. 2, p. 605-620, jul./dez., 2009.

MOREIRA, I. C. de. A Popularização da ciência e tecnologia no Brasil. In: BOTTINELLI, N.; GIAMELLO, R. (Eds.). Ciencia, Tecnología y Vida Cotidiana - Reflexiones y Propuestas del Nodo Sur de la Red Pop. Montevidéu: RedPop/Unesco, 2007.

ROCHA, J. N. A percepção da ciência pelos professores da educação básica. In: SEMINÁRIO HISPANO-BRASILEIRO DE AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES RELACIONADAS COM CIÊNCIA, TECNOLOGIA E SOCIEDADE, 2, 2012, São Paulo. Anais [...]. São Paulo: Universidade Cruzeiro do Sul, 2012, v. 3. p. 139-151.

SANTOS, M. E. T. et al. Tema Transversal saúde no contexto escolar: análise da formação e da prática pedagógica docente nos anos iniciais da Educação Básica. Revista Ciências & ideias, Rio de Janeiro, v. 7, n. 1, p. 85-101, jan.-abr. 2016.

SANTOS, R. Análise crítica das Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica do Campo. Revista Espaço do Currículo (Online), v. 7, p. 314-325, 2014.

SILVA E. A. As representações sociais dos alunos, professores e gestores escolares sobre a repetência e sua relação com o fracasso escolar. 2008. Dissertação (Mestrado profissional em Gestão de Políticas Públicas), Universidade do Vale do Itajai – UNIVALI, Itajaí, 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.47236/2594-7036.2021.v5.i1.6-18p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 
Atribuição 

CC BY

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Esta licença permite que outros distribuam, remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho, mesmo para fins comerciais, desde que lhe atribuam o devido crédito pela criação original. 

Contato:
Revista Sítio Novo
Kallyana Moraes Carvalho Dominices
Editora-Chefe
Instituto Federal do Tocantins - Reitoria
Avenida Joaquim Teotônio Segurado, Quadra 202 sul, ACSU-SE 20, Conjunto 01, Lote 08 - Plano Diretor Sul
Palmas, Tocantins - Brasil
Cep: 77.020-450
Telefone: 63 3229-2214

e-ISSN: 2594-7036

 

Bases de Dados, Diretórios, Repositórios e/ou Indexadores

 GoogleScholar  BASE - Bielefeld Academich Search EngineResultado de imagem para logo cabi abstracts Latindex – Interciencia PortuguêsSubmissões


Utilizamos o seguinte software de detectação de similaridade:

Crossref Similarity Check