As novas tecnologias de informação e comunicação no ensino fundamental I: problematizações acerca da formação de professores

Sergio Vale da Paixão, João Lucas Santiago

Resumo


Este artigo tem como objetivo refletir sobre o uso das tecnologias na escola e problematizar a importância da formação continuada de professores da educação básica do ensino fundamental I, pois são a classe tem recebido pouca formação para a utilização das tecnologias para fins de ensino e aprendizagem. Tendo como base essa premissa e dentro da perspectiva do letramento digital, buscamos interlocuções com pesquisadores que também dedicaram seus trabalhos sobre formação de professores e uso de tecnologias (COSCARELLI, 2007, 2016; DEMO, 2007; LÉVY, 1997; PRENSKY, 2001). A partir do levantamento de dados, buscamos compreender como estão as condições da formação continuada de professores em dez escolas públicas municipais localizadas na região do norte do Paraná. Os resultados apontam para a maior necessidade de investimentos na formação continuada para que o trabalho com o currículo escolar esteja em sintonia com as demandas dos estudantes reconhecidos como nativos digitais (PRENSKY, 2018). Contudo, é válido afirmar que a pesquisa colabora para que tanto pesquisadores da área como a gestão dos cursos de formação continuada de professores do ensino fundamental I invistam maior tempo em atividades as quais minimizem a distância entre tais discussões e o fazer dos professores em sala de aula nas escolas públicas.

Palavras-chave


Tecnologias na educação. Formação continuada. Ensino fundamental.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Júlio Pinheiro. Letramento digital: história, concepção e pesquisa. Pontes Editores, 2014.

BAUMAN, Zygmunt. A cultura no mundo líquido moderno. 1. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil (1988). Brasília, DF: Senado Federal, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm. Acesso em: 8 maio 2017.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF: MEC, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 5 abr. 2020.

COSCARELI, Carla Viana. Alfabetização e Letramento Digital. In: COSCARELLI, Carla Viana; RIBEIRO, Ana Elisa (org.). Letramento Digital: aspectos sociais e possibilidades pedagógicas. 2. ed. Belo Horizonte: Ceale: Autêntica, 2007.

DEMO, Pedro. O porvir: desafios das linguagens do século XXI. Curitiba: Ibpex, 2007.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. 10. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

GOMES, Suzana dos Santos. Infância e tecnologias. In: COSCARELLI, Carla Viana (org.). Tecnologias para aprender. 1 ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2016.

KLEIMAN, Angela B. (org.). Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas, SP: Mercado de Letras, 1995. Coleção Letramento, Educação e Sociedade.

LEFFA. Vilson José. A aprendizagem de línguas mediada por computador. In: LEFFA, Vilson José (org.). Pesquisa em linguística aplicada: temas e métodos. Pelotas: Educat, 2006. p. 11-36.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Editora 34. 1999.

MAHONEY, Abigail Alvarenga; ALMEIDA, Laurinda Ramalho de. A dimensão afetiva e o processo ensino-aprendizagem. In: MAHONEY, Abigail Alvarenga; ALMEIDA, Laurinda Ramalho de. Afetividade e aprendizagem: contribuições de Henry Wallon. São Paulo: Edições Loyola, 2007.

PAIXÃO, Sergio Vale da. De professor para professor: conversas de sala de aula. 1. ed. Londrina: Madrepérola, 2019.

PALFREY, J.; GASSER R. U. (2011). Nascidos na era digital: entendendo a primeira geração dos nativos digitais (M. F. Lopes, Trad.). Porto Alegre: Artmed (trabalho original publicado em 2008).

PIGNATELI, Frank. Que posso fazer? Foucault e a questão da liberdade e da agência professor. In: O sujeito da educação: estudo foucaultianos. SILVA, Tomaz Tadeu da (org.). Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.

PRENSKY, M. Digital Natives, Digital Immigrants Part 1. On the Horizon. v. 9, n. 5. set./out., 2001.

PRENSKY, M. Digital natives, digital immigrants. Disponível em: https://www.marcprensky.com/writing/Prensky%20-%20Digital%20Natives,%20Digital%20Immigrants%20-%20Part1.pdf. Acesso em: 10 maio 2018.

RIBEIRO, Andréa Lourdes. Jogos Online no ensino-aprendizagem da leitura e escrita. In: COSCARELLI, Carla Viana (org.). Tecnologias para aprender. 1. ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2016.

ROJO, Roxane. Letramentos Múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola editorial, 2009.

SASTRE, Genoveva; MORENO, Montserrat. O significado afetivo e cognitivo das ações. In: ARANTES, Valéria Amorin. Afetividade na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 2003.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 22. ed. São Paulo, Cortez, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.47236/2594-7036.2021.v5.i1.210-226p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 
Atribuição 

CC BY

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Esta licença permite que outros distribuam, remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho, mesmo para fins comerciais, desde que lhe atribuam o devido crédito pela criação original. 

Contato:
Revista Sítio Novo
Kallyana Moraes Carvalho Dominices
Editora-Chefe
Instituto Federal do Tocantins - Reitoria
Avenida Joaquim Teotônio Segurado, Quadra 202 sul, ACSU-SE 20, Conjunto 01, Lote 08 - Plano Diretor Sul
Palmas, Tocantins - Brasil
Cep: 77.020-450
Telefone: 63 3229-2214

e-ISSN: 2594-7036

 

Bases de Dados, Diretórios, Repositórios e/ou Indexadores

 GoogleScholar  BASE - Bielefeld Academich Search EngineResultado de imagem para logo cabi abstracts Latindex – Interciencia PortuguêsSubmissões


Utilizamos o seguinte software de detectação de similaridade:

Crossref Similarity Check